Governo anuncia R$1,3 mi para o esporte em Botucatu

Proposta é dotar a área do antigo estádio Petrarca Bacchi,  que pertencia ao Clube Atlético Brasil de Vila Maria, onde existe um campo de futebol, com pista de atletismo, academia ao ar livre, pista de skate, entre outras benfeitorias

 

Depois de receber o título de “Cidadão Botucatuense” pelos serviços prestados ao esporte botucatuense, Carlos Geraldo Santana de Oliveira, atualmente responsável pela pasta da Secretaria  Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social (Snelis), do Ministério de Esportes, foi  anunciada nesta quinta-feira (28) uma verba de R$1,3 milhão para a construção do complexo esportivo no setor Leste do município, na região da Vila Maria onde se incluem o Jardim Ciranda, Jardim Peabiru, Jardim Brasil, Vila Mariana, Parque Residencial Serra Negra, Residencial Arlindo Durant, entre outros. 

Aliado a esta homenagem ao secretário que na ocasião respondia pela Secretaria Nacional de Esporte de Alto Rendimento,  que teve iniciativa do presidente  da Câmara Municipal André Rogério Barbosa – Curumim,  houve a participação do empresário botucatuense Carlinhos Romagnolli  que realiza eventos esportivos em diferentes cidades do Estado e sua ligação com o deputado estadual Wellington Moura e com o próprio  ministro dos Esportes, George Hilton.

A proposta é dotar uma área do antigo estádio Petrarca Bacchi,  que pertencia ao Clube Atlético Brasil de Vila Maria, onde existe um campo de futebol, com pista de atletismo, academia ao ar livre, pista de skate, entre outras benfeitorias, visando atender a comunidade local. Esse terreno com mais de 14 mil metros quadrados, foi integrado ao patrimônio da Prefeitura Municipal a título de permuta e um projeto com o desenho do complexo foi apresentado à Câmara e Prefeitura Municipal pelo diretor do clube, Silvio Prearo.

Esse complexo causou uma grande discussão entre os vereadores da Câmara Municipal ao final do ano passado. Isso porque o Projeto de Lei nº 79/2015, de autoria do prefeito João Cury Neto propunha a venda de um imóvel de propriedade do Município de Botucatu, localizado na Praça Carlos Gomes (Rua João Passos), onde funciona a Guarda Mirim, próximo da Escola Municipal Rafael de Moura Campos e o dinheiro seria usado para construir a praça esportiva.

Porém em votação ocorrida em outubro do ano passado, a propositura não alcançou o número necessário de vereadores para ser aprovado como prevê o Regimento Interno, ou seja, 2/3 dos votos (8 votos favoráveis ao projeto)  e o vereador Fernando Carmoni  pediu adiamento por 30 sessões.  Com a vinda desta verba do governo federal, provavelmente, o projeto será retirado.