Em Botucatu, Osmar Santos divulga símbolo da Copa 2014

Osmar Santos que nos últimos meses tem mantido uma ligação estreita com a Cidade de Botucatu passou pela Cidade nesta terça-feira (6) e esteve com o coordenador do núcleo do Museu do Café da Fazenda Lageado, José Eduardo Candeias. Em 2011 o ex-locutor visitou Botucatu várias vezes chegando a ser homenageado no Museu, que fez uma exposição de seus quadros. Um deles foi doado ao acervo do Museu.

O ex-locutor que em 1994 no auge de sua fama, sofreu um sério acidente automobilístico que fez com que ficasse com movimentos e voz limitados continua passando por um doloroso e longo processo de recuperação após o acidente, criou jargões em suas narrações que são lembradas até hoje, como: “As bandeiras estão tremulando, tremulando”; “Acerte o Brasil na sua vida”; “Ripa na chulipa, pimba na gorduchinha”; “Animal”; “É fogo no boné do guarda”; “Cochilou, o cachimbo caiu”; “Conversa com a menina, vê se ela deita na rede”; “É lá que a menina mora”, “Ali no meio do campo, no caroçinho do abacate”; “Não é fraco, não, meu garotinho, não é fraco, não”, entre tantos outros.

E é baseado num desses jargões de Osmar Santos que está sendo feito uma campanha a nível nacional, que poderá se tornar o símbolo da Copa 2014, prevista para ser realizada no Brasil: “Gorduchinha 2014”. A campanha começou no dia 21 de julho do ano passado e ganhou força após algumas manifestações de pessoas ligadas ao mundo esportivo e artístico. Osmar Santos está viajando, pessoalmente, para diferentes regiões do País em busca de apoio.

No final de julho de 2011, Delen Bueno, idealizador da homenagem, criou uma página na rede social Facebook. Desde então, o perfil recebeu a visita de milhares de internautas. De acordo com ele, a ideia surgiu após a Copa 2010. “Fiquei com isso na cabeça, mas guardei. Em dezembro do ano passado, fui almoçar com ele (Osmar) para convidá-lo ao meu casamento. Nisso dei a ideia de colocar o nome de ‘Gorduchinha’ e ele topou na hora”, afirmou ? reportagem da “Gazeta Esportiva.net”.

Delen explica que a proposta da campanha é chamar a atenção da empresa que detém os direitos do nome da bola da Copa do Mundo. “Todos podem apoiar o movimento. Essa é uma campanha do povo, dos amigos e fãs do Osmar”, disse. A campanha está sendo divulgada pela imprensa internacional e é bem provável que seja vitoriosa. Assim, já que os africanos tiveram a Jabulani, o Brasil poderia ter sua Gorduchinha. Todos podem participar. Basta acessar o site www.gorduchinha2014.com

{n}Desde 1970{/n}

Vale lembrar que a bola oficial da Copa passou a ter nome no Mundial do México, em 1970. Na ocasião, ela foi chamada de Telstar, mesmo nome utilizado na Copa de 1974. Até a Jabulani, usada no Mundial sul-africano, oito bolas foram batizadas:
1970 (México) e 1974 (Alemanha): Telstar.
1978 (Argentina): Tango.
1982 (Espanha): Tango España.
1986 (México): Azteca.
1990 (Itália): Etrusco Unico.
1994 (Estados Unidos): Questra.
1998 (França): Tricolore.
2002 (Japão e Coreia do Sul): Fevernova.
2006 (Alemanha): Teamgeist.
2010 (África do Sul): Jabulani.