Derby marca amizade de pretos e brancos no futebol

Fotos – Maury Torres


O evento que coloca frente a frente equipes formadas por atletas negros e brancos, em categorias divididas por faixas etárias,  já se tornou um marco esportivo para os botucatuenses e o campo encharcado não tirou a motivação dos atletas

 

Para fechar o ano do futebol com chave de ouro em Botucatu foi realizada no campo das Cerejeiras, na Vila São Luís (próximo ao Recanto Azul), o 41º derby entre Pretos X Brancos. O evento contou com a presença de pessoas ligadas a diferentes segmentos da sociedade botucatuense e bastante conhecidas que vestiram a camisa para participar da festa. Nem o campo encharcado, em razão das chuvas,  tirou a motivação dos atletas.

O evento que coloca frente a frente equipes formadas por atletas negros e brancos, em categorias distintas divididas por faixas etárias, já se tornou um marco esportivo para os botucatuenses, especialmente para aqueles que participam desde a primeira edição, realizada em 1974.

Nesta edição uma homenagem foi prestada ao jogador Ariovaldo Zanchitta, mais conhecido como Vadão, que vestiu a camisa de várias equipes botucatuenses, sendo inúmeras vezes campeão e é considerado um dos melhores zagueiros da história  do futebol varzeano da cidade,  além de ser muito querido de todos aqueles que conviveram e convivem com ele. 

Nunca é demais lembrar que o embate futebolístico entre Pretos X Brancos foi uma ideia surgida das brincadeiras de dois amigos, Anísio de Arruda Castro, o Tio Chico, e Flávio Pizzigatti, que ao longo dos anos, disputavam partidas esporádicas, as quais vieram a se transformar, no evento que acontece atualmente. O que antes era um jogo único se transformou em dois e nos dias de hoje, são necessárias três partidas, divididas em categorias distintas, para atender a todos aqueles que participam.

O primeiro embate teve início às 9 horas e reuniu os atletas acima de 50 anos. Muitos dos atletas participam da brincadeira desde a sua concepção e continuam até está edição. O jogo terminou empatado em 1 a 1.  Na sequência a disputa ficou entre os atletas de 35 a 49 anos, com um novo empate, desta feita em 2 a 2.  Fechando a programação jogaram aqueles com até 34 anos. Levou a melhor os pretos que venceram por 6 a 4.

“É mais um evento que busca o congraçamento entre amigos, mas que no campo é levado a sério, pois ninguém quer perder. Este ano vivemos uma edição especial com a homenagem feita ao jogador Vadão. A homenagem foi entregue pelo prefeito João Cury Neto, que é um dos participantes e apoiadores desta festa, nos últimos anos”, colocou José Fernandes de Oliveira Júnior, um dos organizadores.