Competidores da região participam de trekking

A 2ª Etapa de Trekking realizada neste domingo, 30, em Botucatu percorreu alguns trechos da área urbana e vários de obstáculos naturais, totalizando 11 quilômetros. Os competidores enfrentaram erosão, mata, lama e córrego. Tudo isso foi vencido sem esquecer de monitorar as planilhas, usar bússola e contar passos.

Os setores mais difíceis para os competidores foram três. Depois de partirem do Centro de Atividades (CAT) do SESI, eles passaram por uma erosão próxima ? Rodovia Marechal Rondon e não conseguiram ter boa regularidade para sair de um Bosque da Avenida Itália, na região da Cohab I. Todos seguiram pelo trevo do SENAI até o Bairro Altos da Serra. Nessa região tiveram contato área verde, lago e nascentes.

Outra dificuldade foi um brejo onde os participantes afundaram até a cintura, depois tiveram que passaram por um rio segurando em uma corda. Alguns se molharam até a região da cintura ou pescoço.

Venceu quem foi mais regular. Na Categoria Graduados a equipe “Vai que eu Fui” de Botucatu ficou em primeiro lugar. A “Pé Duro” de Avaré foi a segunda, seguida da Quatrilha, de Botucatu. Os três primeiros de cada categoria receberam troféus.

Já na Categoria Trekkers (Iniciantes) a vencedora foi a Duratex, tendo Casa Nova em segundo lugar e Vice Versa e Dharma, em terceiro. Todas são de Botucatu. A competição ainda fez parte dos Jogos Industriários do SESI (JOIS), na Categoria Indústria. A classificação teve Duratex como campeã, Correios em segundo e Anidro em terceiro.

O coordenador do Lazer e Esportes do SESI, José Artemio Montanha, lembra que a prova foi realizada em parceria com o Pro-Cuesta e foi em homenagem ao Dia da Indústria (25/5), valendo pontuação para o JOIS. “É o quinto ano consecutivo que a prova faz parte do JOIS e é um momento que abrimos o Clube para a comunidade; vimos essa prova como treinamento corporativo”, informa.

A equipe da Duratex levou o troféu da Indústria e ainda dos Trekkers. De acordo com Vantuir Pereira Júnior, a equipe que foi formada por seis pessoas. “Já havíamos participado no ano passado e agora estamos retornando por conta da motivação desse esporte”, explica.

Segundo o organizador Fernando Arena, cada vez mais se percebe equipes da região participando das provas organizadas pela Equipe Pro-Cuesta de Trekking. “Algumas equipes são novas e outras trazem pessoas aficionadas pelo esporte. Já teve gente que pediu para mudar a data da prova porque iria casar e outra que transferiu a lua de mel para não perder a prova”, cita.

O trekking tem patrocínio da Prefeitura Municipal, através da Secretaria Municipal de Esportes e Subsecretaria de Turismo; Revista Botucatu Especial; Estamparia Poko Loko; Marcenaria Arena; Brother Hood Uniformes Esportivos, Vida Ativa Espaço Personal e Sesi. A próxima prova será em agosto. Informações: www.procuesta.com.br.

{n}Equipe atrasa, mas não desiste de prova{/n}

Descobrir o caminho correto de uma prova de caminhada a pé, através de uma planilha, bússola e contando passos, necessita de atenção, raciocínio, trabalho em equipe e resistência física.

Mesmo atrasando mais de duas horas por problemas no percurso, a equipe “Caminhantes Sem Limites” de Bauru não desistiu de terminar a prova. Era uma questão de honra para as quatro mulheres participantes.

A bancária Sônia Ap. Barbosa é a única delas que já participou do trekking. “Combinamos que a gente iria terminar. O melhor desse tipo de prova é o contato com a natureza, interação com as pessoas, trabalho em equipe e a determinação”, coloca.

A estudante de Jornalismo, Patrícia Ikeda, 22 anos, da mesma equipe, diz que ficou sabendo do trekking através de fotos de uma prova que um amigo colocou em seu site de relacionamento pessoal mas, como ele não poderia vir a Botucatu, indicou a procurar as três pessoas de Bauru que estariam em Botucatu.

“Eu já tinha participado de uma prova, mas não por competição. O maior problema nessa prova é a navegação, mas é muito interessante o trabalho em equipe, exige grande concentração e raciocínio, e é preciso estar atenta ? s direções”, cita Patrícia.

Na chegada da prova, a equipe foi aplaudida e elogiada pela determinação das competidoras que não desistiram do seu objetivo.

{n}Classificação geral{/n}

{n}Trekkers (Iniciantes){/n}
Duratex – Botucatu – 13845 (Pontos perdidos).
Casa Nova e Vice Versa (Botucatu) – 14858
Dharma (Botucatu) – 17921
Pegada (Botucatu) – 20564
Sigma Trekking (Botucatu) – 25256
Prondkeuv (Botucatu) – 30812
Correios (Botucatu) – 39248
Bons Ares (Botucatu) – 42129
Caminhantes Sem Limites (Bauru) – 42392
Anidro (Botucatu) – 44100
Coyotes (Botucatu) – 53867

{n}Graduados{/n}
Vai que eu Fui (Botucatu) – 4747 (pontos perdidos)
Pé Duro (Avaré) – 7388
Quatrilha (Botucatu) – 9822
Frei Fidélis/ Embraer (Botucatu) – 14006
Asbota Jaxamo (Avaré/ Jaú) – 18779
Pé na Lama ((Botucatu) – 23964
Raio de Sol (Botucatu) – 43144
Amigos da Onça (Botucatu) – 52584
Lendária/ Casa dos Materiais (Botucatu) – 55054

Fotos: Cristiano Alves