Brasil é tirado da final da Copa com goleada humilhante

“Vareio”, “surra”, vergonha” e “baile”,  foram alguns adjetivos usados por torcedores que congestionaram as redes sociais do Brasil e do mundo em razão da vergonhosa e inesperada derrota do Brasil para a Alemanha pelo histórico placar de 7 a 1, partida válida pela semifinal da Copa do Mundo. Para piorar, sofreu essa humilhação em casa, na Arena do Mineirão, em Minas Gerais.

Até este jogo a maior derrota do Brasil em um jogo de Mundial  foi na derrota na decisão da Copa de 1998. Na ocasião, a França venceu o Brasil por 3 a 0, em uma atuação inspirada de Zidane. O Brasil já sofreu mais gols em uma partida. Aconteceu em 1934, quando perdeu para a Iugoslávia, por 8 a 4, mas o jogo era amistoso.

O calvário brasileiro teve início aos 10 minutos quando Thomas Müller  aproveitando uma falha da defesa na cobrança de escanteio para fazer o primeiro gol da partida e o seu quinto gol neste Mundial. O que se viu depois disso foi a Seleção sofrer um colapso inédito em seus mais de cem anos de história.

Aos 22 minutos Klose fez seu 16º em Mundiais e isolou-se como goleador máximo nessas 20 edições de Copa. Justo ele, o único atleta a jogar quatro semifinais de Copa. E uma espécie de Carrossel em vermelho e preto passou a desfilar, com um gol atrás do outro. O desencontro brasileiro no gramado ficou evidente no gol de Khedira, aos 28 minutos,  após linha de passe que mais parecia a tão brasileira “roda de bobinho”. Antes, Kross fizera dois. Assim, o técnico Luiz Felipe Scolari e seus comandados foram inertes para o vestiário, com um 5 a 0 inimaginável.

No segundo tempo, Scolari fez o que muitos esperavam que fizesse no início. Povoou o meio de campo, com Paulinho e Ramires, na tentativa de ao menos reduzir o vexame. Não houve trégua. Além de dois gols de Schürrle, que entrou no lugar de Klose, teve a eficiência do goleiro Neuer, que evitou que o Brasil descontasse com duas defesas importantes. Já nos instantes finais, Oscar fez o de honra do Brasil.

A Alemanha vai para a decisão após esbarrar duas vezes na sequência nas semifinais e tentará, no domingo, dar à sua geração uma glória que ainda não veio. Espera pelo seu adversário, que pode ser a Argentina pela terceira vez ou a Holanda pela segunda. Já o Brasil tenta recolher os “cacos” para defender seu orgulho no sábado, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília, na disputa de terceiro e quarto.

 

Ficha Técnica

Brasil 1 x 7 Alemanha

Estádio: Mineirão
Árbitro: Marco Rodrigues (México)
Gols: Kroos (2), Schürrle (2),  Müller, Klose e Khedira e Schürrle (Alemanha) Oscar descontou para o Brasil.  
Cartão amarelo: Dante (Brasil)
 

Brasil: Julio Cesar; Maicon, Dante, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Fernandinho (Paulinho) e Oscar; Hulk (Ramires), Bernard e Fred (Willian). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Alemanha: Neuer; Lahm, Jérôme Boateng, Hummels (Mertesacker) e Höwedes; Khedira (Draxler), Schweinsteiger, Toni Kroos, Özil e Thomas Müller; Klose (Schürrle).  Técnico: Joachim Löw.

 

Foto: Divulgação