Botucatuenses estiveram entre os 30 mil da São Silvestre

Foram 110 competidores de Botucatu (40 somente da equipe Marcha Lenta) que estiveram na manhã desta quarta-fera (31) participando da 50ª edição da Corrida Internacional de São Silvestre, uma das provas de rua mais tradicionais do calendário nacional e que reuniu, aproximadamente, 30 mil corredores de diversos países do mundo.

Entre os competidores de Botucatu estavam os já mais experientes e outros novatos, todos atrás de seus objetivos. Alguns concluíram a última prova de 2014 como forma de agradecimento pelo ano; outros realizaram o sonho de conseguir concluir o percurso de 15km pela primeira vez;  e ainda os que buscaram na prova o melhor desempenho pessoal.

A primeira largada aconteceu às 6h50 para corredores cadeirantes. O pelotão de elite feminino saiu às 8h40 e, 20 minutos depois, foi a vez dos atletas de elite masculinos, seguidos por uma verdadeira massa humana de corredores anônimos.

Na elite das mulheres as etíopes Ymer Wude Ayalew e Netsanet Kebede  fizeram um embate emocionante e a definição só aconteceu no quilômetro final, quando Ayalew demonstrou o seu conhecimento de campeã da prova e deixou a compatriota para trás e celebrar o bicampeonato nas ruas paulistanas. A melhor brasileira foi Joziane Cardoso, que ficou com a oitava colocação.

No masculino Dawit Admasu  apesar de estar seguido de perto pelo queniano Stanley Kooch, entrou triunfante na reta final, na Avenida Paulista e cruzou a linha de chegada com o bom tempo de 45min04s. Stanley veio logo atrás, com 45min05s. Fabiano Naasi, da Tanzânia, foi o terceiro colocado, com 45min10s. Mark Korir, do Quênia, ficou em quarto (45min19s) e Giovani dos Santos foi o melhor brasileiro, ao fechar a prova em quinto lugar, com o tempo de 45min22s.

Nunca é demais lembrar que a melhor classificação de Botucatu na Corrida de São Silvestre se deu em 2007 quando o fundista Marildo José Barduco assegurou seu lugar pódio chegando na 5ª colocação, com o tempo de 47min35seg, ficando a 15 segundos do colombiano Jacinto Lopez. Foi o segundo brasileiro melhor colocado na prova já que Anoé dos Santos Dias cruzou a linha de chegada na 3ª posição. Naquele ano o campeão da prova foi o queniano Robert Cheruyiot, seguido do também queniano, Patrick Ivuti.  O pódio foi completado por um terceiro queniano: Gatheru Daniel Ndiritu, que chegou na 6ª colocação, com 8 segundos atrás de Barduco.

Essa corrida também teve um aspecto interessante para o Brasil na prova feminina onde quatro brasileiras subiram ao pódio: Marizete de Paula Rezende (2º); Maria Zeferina Rodrigues Baldaia (3º); Edielza Alves dos Santos Guimarães (4º); e Marily dos Santos (5º). A prova foi vencida pela queniana Alice Timbilili. O sexto posto do pódio foi ocupado por outra queniana: Gladys Jepkemoi Chemweno.