Botucatuense disputa prova internacional de resistência na Serra Catarinense

 

giandoni 3
Botucatuense Alexandre Giandoni com a medalha após a prova

O botucatuense Alexandre Giandoni participou no último sábado, 03, de uma das provas mais desafiadoras do Brasil, a internacional ‘Mizuno Uphill Marathon 2016’. A prova teve largada na cidade de Lauro Muller, com chegada em Bom Jardim da Serra, ambas em Santa Catarina, no mirante da Serra do Rio do Rastro, uma das mais espetaculares do mundo.

A corrida de resistência atrai todos os anos milhares de corredores do país e estrangeiros. A elevação máxima é de 1.419 metros, o que dificulta ainda mais a ação do corredor que pode optar por correr 25 km ou 42 km.

giandoni
Curvas e subidas da Serra do Rio do Rastro em Santa Catarina exigiu extrema resistência dos corredores

“Foi a prova mais linda que já corri, com um visual sem igual. A energia dos outros corredores e até mesmo a energia que parece sentir e receber da Serra, ou seja, a corrida mais desafiadora da minha vida. A estratégia foi sair em um ritmo confortável e manter, mesmo sentindo que poderia fazer um pace (ritmo) mais baixo por km. Não adiantava queimar energia antes sendo que os últimos 6 kms da serra são mais íngremes, com inclinação de até 59,8%”, disse Alexandre Giandoni, que em Botucatu corre pela equipe Marcha Lenta com apoio da ATFPMB.

Para participar da prova existe primeiro uma pré-inscrição do atleta. Vencida essa etapa a organização define os participantes via sorteio, ou seja, a prova é feira apenas para quem realmente possui resultado ou condição de desafiar as curvas da serra.

“Agradeço a Deus por ter me dado essa oportunidade. Quero também agradecer a Assessoria Esportiva Nando Coelho pela ajuda nos treinos, além de todos os familiares e amigos que me apoiaram muito para essa nova conquista. Ano que vem estaremos rumo aos 42 km na Serra do Rio do Rastro em Santa Catarina”, finalizou Giandoni.

O botucatuense terminou sua prova de 25 km em 02h 31 mim.  Além das subidas espetaculares da Serra do Rio do Rastro, os corredores enfrentaram situações adversas como frio, vento, neblina, enxurrada e cansaço.