Botucatu vence Santa Cruz do Rio Pardo e avança na Copa Record

Em jogo transmitido ao vivo pela Rede Record de Televisão, na tarde deste sábado (9), a equipe de futebol de salão feminino de Botucatu/Associação Atlética Ferroviária (AAF) teve um grande desempenho ao vencer a representante de Santa Cruz do Rio Pardo pelo placar de 3 a 0. O jogo foi válido pela segunda fase da Copa Record de Futsal, que entrou no mata-mata, ou seja, quem perde sai da competição. O jogo foi disputado no ginásio do Sesi (Serviço Social da Indústria) de Bauru.

O técnico de Botucatu, Renato Moral, escalou o quinteto botucatuense com Sara, Ninja, Aline, Lucéia e Pepê, entrando ainda Gil, Gleice e Dani. Já o Santa Cruz, time que tem sua base principal formada por jogadoras que vieram contratadas do Estado do Paraná, é orientado pelo técnico Marcos Solaro veio para a quadra com Daia, Elen, Cintia, Kalê e Brenda, entrando ainda, Jéssica e Lívia.

Até a metade do primeiro tempo o equilíbrio prevaleceu, com as duas equipes concentradas na quadra para não tomar gol. Porém, através da ala Aline, Botucatu abriu o marcador, segurou o resultado e foi para o vestiário com vantagem. No início do segundo tempo, antes dos cinco minutos de jogo, Aliene fez o seu segundo gol, escorando de cabeça um lançamento que veio da linha intermediária da quadra.

Em vantagem de 2 a 0 no marcador Botucatu recuou e passou a jogar no contra-ataque. Foi então que brilhou a estrela da goleira Sara que realizou grandes defesas. Botucatu colocou números finais na partida com Pepê, aos 17 minutos, consolidando a vitória botucatuense em 3 a 0. Pepê é uma séria candidata ? artilharia do campeonato e marcou o seu nono gol na competição.

Com esse resultado Botucatu tirou Santa Cruz do Rio Pardo da competição e volta ? quadra na próxima quinta-feira (14) jogando em Barra Bonita, ? s 20h30, contra Lençóis Paulista. “Nessa fase não tem jogo fácil, pois quem perde saí da competição, mas acredito na força dessas meninas que estão concentradas e poderão trazer o título para Botucatu. É difícil, mas não impossível”, avaliou o diretor técnico da equipe, Marcelo Henrique Ventrela Marcolin.