Atletas de Botucatu vão lutar em evento de MMA

Fotos: Luiz Fernando

No próximo dia 13 de dezembro (sexta-feira), a partir das 19 horas, Botucatu irá receber um evento para as pessoas que apreciam lutas de MMA (do inglês: Mixed Martial Arts) ou AMM (Artes Marciais Mistas), o esporte que mais ganha adeptos no mundo, com o Shockwave Combate. Serão dez lutas no octógono montado na quadra da Associação Atlética Botucatuense (AAB). Na luta principal estão se enfrentando Charles Michael e Edvaldo Gameth.

Serão 10 lutas programadas e Botucatu será representada em 06 confrontos por atletas da Academia Miquinho, tendo como técnico os professores Anderson “Banana” Silva e Will Trovão. São eles: David Teixeira (que enfrenta Eduardo Perereca); André Bernardo (Magno Wilson), Edney Fequettia (Felipe Shark), Marcelo Bento (Elder Pyter), André Genelique (Carlos Alberto) e Gustavo Moura (Anderson Alioto). Também estarão se confrontando Duilio Bueno X Welber Santos, Alexandre Casanova x Wellington Fernandes e Caio Moikano e Marcus Baiano.

Com estrutura oficial, o evento é considerado um dos melhores do gênero MMA e a equipe botucatuense está intensificando os treinamentos, tanto na luta em pé como no solo para fazer grandes combates. “Temos atletas de grande potencial e acreditamos que poderemos vencer a maioria das nossas lutas. No treinamento procuramos tirar o máximo de cada atleta para que possa dar o seu melhor no dia da luta”, comentou Anderson Banana.

Will Trovão destaca que para entrar no octógono e ter um bom desempenho é necessário que o atleta seja preparado em diferentes modalidades de luta, como jiu jitsu, muay tai, judô, boxe, karatê, entre outras. “Quando o atleta entra no octógono ele tem que estar concentrado naquilo que pretende fazer: atingir o adversário e procurar não ser atingido. Um golpe bem dado ou uma chave bem aplicada pode ter terminar o combate em questão de segundos. Por isso a concentração tem que ser total”, disse Trovão.

A Miquinho promove treinamentos aos atletas em dois endereços: Rua João Passos no Bairro do Lavapés, ou Avenida Leonardo Villas Boas, na Vila Ferroviária. “Temos atletas em nível de competição, assim como aqueles que buscam apenas a defesa pessoal”, colocou Anderson Banana.