Alunos de projetos do judô recebem faixa de graduação

A Associação de Judô Mata Sugizaki (AJMS) promoveu na manhã deste domingo (4), a entrega de faixas aos alunos dos projetos sociais mantidos pela entidade em parceria com a Prefeitura de Botucatu e através do projeto “Acreditar”, e que ao longo do ano participaram das atividades e realizaram os exames para a obtenção do grau superior na modalidade. A solenidade aconteceu no ginásio do Serviço Social da Indústria (Sesi).

Foram quase 300 judocas, com idades entre 6 e 18 anos, que fizeram a troca de faixas e que treinam no Ginásio Municipal “Dr. Mário Covas Júnior”; na sede da Associação de Moradores da Cecap; no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do Jardim Brasil, região Leste; Fundação Casa das Meninas “Amando de Barros”; Obra Madre Marina Videmari; e nas escolas municipais “Luiz Carlos Aranha Pacheco”, no Jardim Paraíso, e “Angelino de Oliveira”, localizada na Vila Antártica.

Familiares e amigos dos atletas, como em eventos anteriores desta natureza compareceram e lotaram as arquibancadas do ginásio do Sesi, outro parceiro da Mata Sugizaki, que fará a formatura de seus judocas, atendidos pelo Programa Atletas do Futuro (PAF), apenas na próxima quinta-feira, dia 8. Já para o dia 15 de dezembro, está marcada a formatura dos alunos da academia Mata Sugizaki de judô. O evento será realizado a partir das 19 horas no ginásio da Associação Atlética Ferroviária (AAF).

Vale lembrar que a Associação de Judô Mata Sugizaki foi fundada em 30 de março de 1973 e desde então tem se dedicado ? massificação do esporte em Botucatu. Nos dias atuais, a Associação de Judô Mata Sugizaki tem atuado junto ? s instituições assistenciais da Cidade e escolas municipais, através de ações esportivas e educacionais, que visam dar oportunidade ? s crianças e adolescentes de conhecer o esporte e, através dele, desenvolver os benefícios como disciplina e valores morais. Ao todo são aproximadamente 400 jovens entre 6 e 18 anos assistidos por projetos de judô da Mata Sugizaki espalhados por Botucatu. A maioria dos atletas é proveniente de bairros carentes do Município.