Rubião Junior ganha nova escola de ensino fundamental para mais de 500 alunos

A Prefeitura de Botucatu, através da Secretaria Municipal de Educação, inaugurou na quarta-feira (21) a Escola Municipal de Ensino Fundamental – “Francisco Ferrari Marins”, localizada no Jardim Nossa Senhora das Graças, Distrito de Rubião Junior. A unidade irá atender aos alunos do 1º ao 5º ano da EMEF João Queiroz Marques, que até então era compartilhada com o estado.

O evento contou com a presença do prefeito João Cury Neto; secretário de Estado da Educação, Dr. José Renato Nalini; secretária municipal de Educação, Edileine Fernandes Henrique; dirigente Regional de Ensino, Rosilene Palugan Vargas; familiares do homenageado, Francisco Ferrari Marins; gestora escolar, Luciana Mara Gonçalves Rodrigues; vice-diretora, Janete Fernandes; coordenadora pedagógica, Thais Monteiro; além de outras diversas autoridades locais, servidores da Educação, pais e alunos.

A nova unidade escolar, fruto de convênio celebrado entre a Secretaria de Estado da Educação/Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE) e o município de Botucatu, possui cerca de  2.400 metros quadrados de área construída.

O espaço inclui 11 salas de aula,  quadra coberta, centro de leitura, laboratório de informática, sala dos professores, almoxarifado, secretaria, direção e coordenação, sala de artes e lego, sala de reunião, arquivo, banheiros, cozinha, despensa, depósito e amplo refeitório.

As novas dependências irão atender inicialmente 560 alunos, moradores do distrito de Rubião Junior, que incluem bairros como Jardim Botucatu, Bons Ares, Sueleni, Santo Antonio da Cascatinha, Dona Marta, Alvorada, Vila Paraiso, Santo Inácio, Vila Formosa, São José, Residencial Caimã, Nova Esperança e a área rural, compreendendo Califórnia I e II,  Chaparral, Capão Bonito, Faxinal, fazendas e chácaras da região.

Em seu pronunciamento, o prefeito João Cury Neto fez diversos agradecimentos às pessoas que, de alguma forma, contribuíram para que os moradores do Distrito de Rubião Junior recebessem uma nova unidade escolar para dar vazão a demanda local.

“A obra não é o mais importante, afinal, uma escola não é apenas ferro e concreto. Quando entregamos uma nova escola, o foco e a prioridade número um são os alunos que irão ganhar em qualidade de ensino e melhores espaços para os estudos”, argumenta.

O Chefe do Executivo Municipal ainda comentou sobre a municipalização do Ensino Fundamental II. “Assumimos um compromisso de avançar no processo de municipalização das escolas com partilhadas com turmas de sexto ao nono ano. Não será fácil, mas acreditamos na capacidade de diálogo para que isso aconteça o mais rápido possível”, complementou Cury.

O secretário de Estado da Educação, Dr. José Renato Nalini, iniciou seu discurso com agradecimento à Câmara Municipal de Botucatu, que lhe outorgou o titulo de cidadão botucatuense. Também enfatizou que a educação é a chave para transformar a vida de todo individuo.

“A cada escola que fazemos funcionar estamos deixando de criar uma prisão ou uma Fundação Casa. Da mesma forma que a escola, sociedade e família devem caminhar juntas e acompanhar a gestão escolar da rede pública, sendo que através da educação iremos enfrentar e sair de todas as dificuldades que por ventura possam surgir”, conclui.

Francisco Ferrari Marins

Francisco Marins, descendente de tropeiros e plantadores de café, nasceu em Pratânia/SP, em 23 de novembro de 1922, filho de Joaquim Marins Peixoto e Izabel Ferrari Marins. Foi casado com Elvira Bandeira de Mello Marins com quem teve três filhos e nove netos.

Formou-se em 1946 pela Faculdade de Direito de São Paulo. Durante o curso jurídico foi diretor da Revista Arcádia e Presidente da Academia de Letras da mesma. Também foi presidente da Academia Paulista de Letras em dois mandatos, presidente emérito em 2003, dirigiu por 17 anos a revista Academia Paulista de Letras e incentivou a coleção de obras pela mesma editada.

Os livros de Francisco Marins, traduzidos em quinze línguas, sempre levaram as histórias típicas de nossa terra a vários países do mundo.         É lembrado como “Escritor da Terra e da Juventude”. Francisco Marins também foi o único escritor do Brasil a figurar na famosa coleção Européia “Delphin”, que reúne os clássicos de literatura juvenil de todo o mundo.

É autor da série de livros infanto-juvenis sobre a fazenda Taquara-Póca, uma típica propriedade rural, onde passou sua juventude, assim como de romances de caráter histórico, tendo por cenário o interior do Brasil durante a época de seu desbravamento. Vendeu mais de cinco milhões de livros. Em 1964, Francisco Marins ganhou o Prêmio Jabuti, na categoria Romance, com a obra “Grotão do Café Amarelo”.

Um grande sonho de Francisco Marins  era a construção do Hospital Preventivo do Câncer de Botucatu, Para isso doou um terreno de 22.000m², na Rua Nicola Zaponi, no Jardim Santa Elisa, que tem sua obra gerenciada pela Associação Oncológica Santo Agostinho (AOSA), onde o escritor era o presidente.