Educação reinicia pacto nacional de alfabetização

Foi na sala de teleconferência da Secretaria Municipal de Educação retomadas as atividades de formação do PNAIC – Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. Estiveram presentes na ocasião cerca de 100 professores dos anos iniciais da Rede Municipal de Ensino.

O evento contou com a presença da secretária municipal de Educação,  Alessandra Lucchesi de Oliveira; da Coordenadora Municipal do programa, Juliana Vizenzzotto e dos Orientadores de Estudos, Queli Américo, Thais Monteiro, Wagner Codello, Fernanda Basseto, Adauto Pereira e Thais Oliveira.

O PNAIC é um compromisso formal assumido entre o Governo Federal, estados, municípios e sociedade, para assegurar que todas as crianças sejam alfabetizadas até os 8 anos de idade, ao final do terceiro ano do Ensino Fundamental das escolas municipais e estaduais brasileiras. Ele é oferecido pelo Ministério da Educação na modalidade “semipresencial” para os professores dos primeiros, segundos e terceiros anos, além de promover bolsas de estudo e certificação pela Unesp. 

Segundo Juliana Vizenzzotto, esta formação se faz de suma importância para constituir uma educação mais sólida, significativa e real. “A equipe do PNAIC em Botucatu conta com a adesão reflexiva e crítica de todos que participam   das formações sendo que, como qualquer outra intervenção, comporta desafios, recuos e avanços”, pondera. 

De acordo com a secretária Alessandra Lucchesi de Oliveira,  o novo Plano Nacional da Educação possui metas desafiadoras sobre alfabetização. “Precisamos repensar os conceitos do que realmente venha a ser uma verdadeira e funcional alfabetização, com base no letramento, como propõe o programa”, analisa.

Ainda segundo a secretária, o programa tem sido desenvolvido pelos professores em sala de aula e contribuído muito na aprendizagem dos alunos. “Constatamos através de avaliações que o PNAIC vem trazendo um retorno positivo para a rede, tanto na leitura, como na escrita e na matemática, pois trabalha principalmente estratégias do ensinar, com muitas práticas, discussões e sugestões de intervenção”.  

“A tônica de 2015 será a organização do trabalho pedagógico, com enfoque na interdisciplinaridade. Os estudos serão direcionados mediante a pedagogia histórico-critica, com carga horária de estudos, tanto para os professores alfabetizadores, como para os gestores da rede”, conclui Alessandra.