Educação de Botucatu continua a avançar e alcança meta do IDEB para 2017  

educacaoO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (INEP) do Ministério da Educação disponibilizou no dia 8 deste mês os dados mais atuais do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que leva em consideração provas aplicada em 2015. Ele busca medir a qualidade do aprendizado e, em cima dos resultados, é possível traçar melhorias para a educação em todo território nacional. Neste sentido, a Rede Municipal de Ensino de Botucatu mais uma vez foi destaque ao superar as metas estabelecidas pelo MEC.

O ciclo inicial, no qual foram avaliados estudantes do 4º ao 5º ano, alcançou a média de 6,4, acima do preconizado para 2017, que é de 6,3. Este resultado é ainda mais positivo ao comparar o desempenho do Município com a média nacional, que foi de 5,5, e pelo fato de Botucatu estar mais próximo da meta de 2021, que é de 6,8. Para ter ideia do avanço, em 2009 a média das escolas municipais neste ciclo era de 5,9 e, em 2005, 4,8.

Entre as 19 escolas avaliadas, a Emefei – “Luiz Carlos Aranha Pacheco”, localizada no Jardim Paraíso, mais uma vez foi a que conquistou a nota mais alta: 7,4. Porém o destaque ficou por conta do desempenho da Emef. “Prof. Américo Virginio dos Santos”, que saiu da média 4,5, em 2013, para 7,3, nesta última avaliação.

O excelente desempenho é um prêmio à escola da Cecap, que em 2015 recebeu o Meu Bairro Melhor, programa ações transversais a serem executadas pelo poder público, iniciativa privada e a sociedade civil organizada, na busca de resgatar a autoestima e melhora da qualidade de vida das pessoas que residem no bairro.

“Era notório que problemas que ocorriam no bairro, fora da escola, como tráfico de drogas, violência e prostituição, influenciavam diretamente no desempenho de nossos alunos. Isso incomodava toda comunidade escolar. Hoje o bairro tem mais segurança, as famílias estão mais participativas nas atividades de seus filhos e os professores ainda mais comprometidos. A melhora no Ideb era questão de tempo. Agora essa nova nota dá uma nova autoestima a todos, provando que agora o ensino está no caminho certo”, afirma Ana Paula dos Santos.

Já os ciclos finais, representados pelos 8º e 9º anos, obtiveram no Ideb a média 4,7. O desejado pelo MEC para 2015 era 4,8. Ainda assim, o atual índice aponta crescimento uma vez que em 2005 e 2007 a média das escolas chegou a ser de 3,6 e 4, respectivamente. Entre as quatro escolas municipais que trabalham com alunos de 8º e 9º ano, a que alcançou melhor nota foi a Emef. Dr João Maria de Araújo Júnior, localizada na Vila São Lúcio, com 5,3. A média nacional foi de 4,5.

“Não podemos nos acomodar, ainda temos muito que melhorar. O importante é ver que a semente semeada na atual gestão do prefeito João Cury Neto está dando resultados positivos. Isso é reflexo dos investimentos feitos na Educação. A estrutura física de nossas escolas tem recebido atenção especial, sendo que algumas foram totalmente reformadas. Além disso, a capacitação continuada do nosso corpo docente, a diminuição da evasão escolar e a inserção de novas tecnologias dentro da sala de aula são fatores que influenciam no resultado final”, enfatiza a secretária municipal de Educação, Edileine Fernandes Henrique.

 

Como é calculado o Ideb?

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica é um indicador de desempenho da educação brasileira divulgado a cada dois anos pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia do Ministério da Educação (MEC). O Ideb relaciona duas dimensões: o desempenho dos estudantes em avaliações de larga escala e a taxa aprovação.

O desempenho é calculado a partir da Prova Brasil/Saeb, quando os estudantes do 5º e do 9º ano do Ensino Fundamental e da 3ª série do Ensino médio são avaliados em Leitura e Matemática. Os dados de aprovação são verificados a partir do Censo Escolar da educação Básico, realizado anualmente.

O Ideb é calculado para escolas e para sistemas de ensino que monitoram o seu desempenho em relação a metas individuais pactuadas com o governo federal. O índice varia de 0 a 10: quanto maior for o desempenho dos alunos e o número de alunos promovidos, maior será o Ideb.

Todos os dados do Ideb estão disponíveis no site: http://ideb.inep.gov.br/

 

 

EVOLUÇÃO DO IDEB EM BOTUCATU

 

CICLO INICIAL (4º E 5º ANO)

2005: 4,8

2007: 5,5

2009: 5,9

2011: 5,6

2013: 6,0

2015: 6,4

 

CICLO FINAL (8º E 9º ANO)

2005: 3,6

2007: 4,0

2009: 4,4

2011: 4,4

2013: 4,5

2015: 4,7