GPA flagra descarte de entulho em estrada municipal

Os guardas civis municipais Camargo e De Santi do Grupo de Proteção Ambiental (GPA) foram acionados através da Central de Atendimento da GCM (GCCOM), telefone 199, recebeu denúncia sobre descarte irregular de entulhos à beira da Estrada Municipal Elias Alves. No local estava um representante do Conselho Municipal de Turismo (Comutur) que constatou o crime. Os agentes localizaram o suspeito de ter feito aquele descarte que foi orientado.

O secretário municipal de Meio Ambiente, Perseu Mariani, reconhece que as estradas rurais são usadas para depósito de lixo e alerta que a pessoa que for flagrada, como neste caso recente,  pode responder por crime ambiental e receber uma punição que vai desde advertência até multas e, conforme o caso, até em prisão. “Essa é uma questão de cidadania e conscientização e a fiscalização está sendo feita com o intuito de flagrar os infratores”, diz Mariani.

Lembra Mariani que na zona rural é mais difícil detectar quem joga lixo na estrada, mas na zona urbana, principalmente na região periférica, existe um trabalho de fiscalização de terrenos e os proprietários de imóveis, notificados por falta de limpeza e capina. “Centenas (de proprietários) já foram autuados por não terem atendido a solicitação de limpeza, encaminhada pela Prefeitura”, frisou o secretário. “E esse trabalho vai continuar sendo feito”, concluiu.

 

Esfaqueamento

Em outra ocorrência da GCM os agentes Celso e Lima foram acionados através da Central de Atendimento da GCM (GCCOM), já que segundo informações repassadas no telefone 199, davam conta que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) estava atendendo um cidadão  vítima de esfaqueamento.

Os guardas constataram que um indivíduo de 38 anos estava com um pequeno orifício no peito e segundo ele foi golpeado por uma chave de fenda, mas não soube informar quem o atingiu, muito menos o porquê da situação. Segundo a equipe médica que realizou o atendimento a vítima não corre risco de morte. O caso está sendo investigado.

 

Poder Judiciário

Já o inspetor Pichinin e agentes Vaz e Zambonato do Grupo de Ações Preventivas Especiais (Gape) realizaram apoio a uma oficial de justiça que  estava no Jardim Santa Mônica para dar ciência a uma mulher, que foi concedida uma medida protetiva contra ex-marido. O fato transcorreu tranquilamente e a vítima de violência doméstica foi devidamente orientada.