Cempas participa de projeto de educação ambiental

cempas-1-siteCelebrando a Semana do Meio Ambiente, entre os dias 6 e 8 de junho, o Centro de Medicina e Pesquisa em Animais Silvestres (Cempas) da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, câmpus de Botucatu, participou de uma atividade de educação ambiental para crianças de 7 a 11 anos do ensino público municipal.

Realizado no Centro de Equoterapia da Apape (Associação de Pais e Amigos das Pessoas Portadoras de Necessidades Especiais), o evento foi promovido pelo Grupo de Ação Ambiental da Região de Botucatu, entidade que reúne Prefeitura Municipal de Botucatu, Polícia Militar Ambiental, Cempas/FMVZ, Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA/Unesp) e empresas da região.

teatro-dengue-siteO objetivo foi apresentar às crianças informações sobre temas como os cuidados com a proliferação de mosquitos transmissores de doenças, lixo, reciclagem, preservação da fauna e da flora. A equipe do Cempas esteve diariamente no evento, apresentando filmes, fazendo palestras e tirando dúvidas das crianças.

Foi a quarta edição do evento, a primeira realizada no Centro de Equoterapia da Apape. “O papel da universidade vai muito além da formação de alunos. Ela é também pesquisa, extensão, transformação social”, destacou o coordenador do Cempas, professor Carlos Roberto Teixeira. “O Cempas sempre colabora com ações desse tipo porque entendemos que é fundamental levar informações e estimular a reflexão das crianças sobre temas que dizem respeito ao futuro de todos nós”.

cempas-2-siteSegundo Thais Monteiro Pinto, coordenadora pedagógica da Escola Municipal João Queiroz Marques, localizada no distrito de Rubião Júnior, iniciativas com essa despertam a atenção e o interesse dos alunos pelos temas abordados. “Eles só conseguem cuidar daquilo que conhecem. É muito bom oferecer essas informações para que eles saibam cuidar da natureza. Além disso, complementar as aulas com atividades fora da sala para eles é uma coisa encantadora para eles e certamente enriquece muito o aprendizado”.

Perseu Mariani, secretário municipal do Meio Ambiente, informou que a opção do evento é atender principalmente as escolas localizadas em áreas periféricas da cidade. “É um público que, de modo geral, tem menos acesso às informações. Cabe a nós colaborar na educação dessas crianças para formarmos adultos capazes de efetuar as ações corretas para ajudar a preservar o meio ambiente.

O secretário ressaltou a importância do apoio das secretarias da Saúde e da Educação do município e de todos integrantes do Grupo de Ação Ambiental da Região de Botucatu. “Essa união de forças, somando conhecimento técnico com a vontade política de fazer um ambiente melhor é fundamental. O poder público sozinho não faz nada. A parceria com população, empresas, instituições científicas é a melhor forma de termos resultados positivos em nossas ações”.

(Assessoria de Imprensa)