Violinista toca com a Orquestra em Botucatu

Neste domingo (30) a Orquestra Sinfônica Municipal de Botucatu abre a temporada 2014 de concertos com uma apresentação no Santuário Nossa Senhora de Lourdes, ? s 15h30. O espetáculo traz em seu programa clássicos de Mozart, Bach e Rossini. A apresentação gratuita será realizada sob a regência do maestro Marcos Virmond e contará com a participação do renomado violinista, Paulo Paschoal (foto).

Paulo Paschoal iniciou seus estudos de violino com seu pai aos 4 anos de idade. Mas, foi a admiração e a vontade de tocar como o irmão mais velho que o motivou a seguir em frente. Aos 9 anos deu continuidade aos seus estudos em um Conservatório Musical, onde venceu vários concursos promovidos pelo próprio conservatório.

Já tocou em orquestras como: Orquestra Sinfônica de Sorocaba, Orquestra Sinfônica de Santo André, Petrobrás Pró Música e Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo. No ano de 2004, pensando na oportunidade que poderia proporcionar aos seus alunos de regiões mais carentes e na democratização da música clássica, criou a Camerata Darcos e o Quinteto Brasileiro de Cordas, que pode assumir formações menores como o Quarteto Brasileiro de Cordas e o Trio Brasil.

Além de inúmeros CDs gravados com a OSESP, possui CDs gravados com a Orquestra de Câmara Banespa, Villa-Lobos, Santo André e da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. Além das orquestras gravou CDs com nomes renomados da música brasileira tais como: Roberto Carlos, Chico César, Leonardo e Zizi Possi, entre outros.

Também dividiu o palco com artistas como Ney Mato Grosso e Milton Nascimento. Possui três trabalhos solos: no primeiro interpretando obras do compositor Niccoló Paganini e no segundo, acompanhado por um grupo de choros, trouxe composições de Abel Ferreira e Alexandre Guerra e no terceiro com a Camerata Darcos.

Há 20 anos é violinista da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – OSESP, considerada uma das melhores orquestras sinfônicas do país, sediada na Sala São Paulo, importante polo cultural do Estado que conta com a melhor sala de concerto da América Latina.

Atualmente, o músico Paulo Paschoal se apresenta em diversos locais com a Camerata Darcos e formações menores como o Quarteto Brasileiro de Cordas. Estes projetos têm como missão promover a democratização da música erudita e a formação de plateia através da diversificação musical. Surge assim, no cenário nacional brasileiro, uma nova proposta de trabalho que une grandes músicos da Osesp e antigos alunos.

{n}Sobre a Orquestra{/n}

A Orquestra Sinfônica Municipal de Botucatu (OSMB) originou-se no ideal de dois músicos botucatuenses: José Antônio M. de Marchi e Celso W.Cardoso, que quando estudantes do conservatório Carlos de Campos, em Tatuí-SP, vislumbraram a possibilidade de criar um conjunto musical em Botucatu.

Os primeiros ensaios tiveram início em outubro de 1986. A estreia aconteceu em 21 de dezembro do mesmo ano, durante o Festival de Natal no salão social do Botucatu Tênis Clube (BTC). Nomes como Progresso Garcia, entusiasta atuante na Câmara, ajudaram que oito meses depois fosse assinada a Lei Municipal que deu criação ? Orquestra Sinfônica Municipal de Botucatu.

Desde o início, a OSMB teve vida intensa, realizando concertos em Botucatu e em toda a região do Centro-Oeste paulista, participando diversas vezes do Festival de Inverno de Campos do Jordão, Festival de Música de Londrina e do programa “Viola Minha Viola”, da Rede Cultura de Televisão. Também apresentou-se na melhor sala de concertos brasileira, a Sala São Paulo.