Universitários emitem nota de retratação à comunidade

Foi motivo de muita polêmica com repercussão nacional a festa de recepção que a turma de “veteranos” do sexto ano da Faculdade Medicina de Botucatu fizeram para recepcionar os calouros. Eles se vestiram com trajes que lembram a Klu Klux Klan, organização que prega o racismo e fotos circularam pelas redes sociais.

A direção da FMB, através da comissão responsável pela apuração adiantou que deverá levantar informações sobre a festa, confrontando sua veracidade, obtendo nomes, datas, horários, fiscalizando a existência de câmeras, fotos e requerendo providências que se façam necessárias e que possam resultar em provas substanciais.

Também a Congregação da Faculdade de Medicina da Unesp – Câmpus de Botucatu (colegiado máximo da instituição), após reunião extraordinária para apurar supostos excessos cometidos por alunos durante a festa intitulada “Batizado da Medicina” está avaliando o caso. Uma reunião já foi feita com os alunos da 48º  Turma (foto). Em nota os alunos responsáveis pelo evento fazem uma retratação pública lamentando a proporção em que caso tomou..

 

Íntegra da nota

 

Nós, da 48ª turma de Medicina da Faculdade de Medicina de Botucatu – UNESP, diante dos últimos acontecimentos em torno da festa do dia 5 de março, voltamos a público a fim de nos retratar quanto à escolha equivocada da fantasia com o tema “carrascos”. Embora não tenhamos, em nenhum momento, procurado fazer alusão a nenhum grupo que pregue intolerância ou o extremismo, reconhecemos que houve margem para tal interpretação. Não podemos deixar de lamentar, contudo, a divulgação descontextualizada de imagens isoladas da festa associadas a montagens que faziam correlação com tais grupos.

Gostaríamos de reiterar que a 48ª turma abomina qualquer forma de preconceito envolvendo etnias, credos ou orientações sexuais. Com relação à prática do trote, gostaríamos de declarar que não houve, antes, durante ou após a festa, qualquer tipo de ação que fizesse apologia ao preconceito e à violência, tendo os próprios primeiro anistas afirmado o mesmo através de redes sociais e em nota oficial.

Pedimos sinceras desculpas à sociedade e a todos que se sentiram de alguma forma ofendidos pela escolha infeliz da fantasia. Em especial, pedimos desculpas à nossa comunidade acadêmica, que foi julgada injustamente; aos nossos diretores, mestres, residentes e demais colegas, que sempre nos ensinaram a ter a preocupação com o cuidado e com o sofrimento alheio dos pacientes; e aos primeiro anistas, que vêem em nós o exemplo de conduta. O trabalho de todos os funcionários, médicos e os diversos profissionais de saúde da Faculdade de Medicina de Botucatu, que se dedicam diariamente à comunidade com tamanha paixão e devoção, não deve ser julgado devido a uma atitude falha de nossa parte.

Agradecemos todas as moções de apoio que foram espontaneamente colocadas nas mídias sociais nessa semana. Estamos tranquilos quanto a lisura e a transparência de todo o processo.

 

Respeitosamente,

 

Alunos da 48° Turma da Faculdade de Medicina de Botucatu.​