SESI mostra seleção de filmes raros de Nelson Rodrigues

O Sesi está promovendo em suas 54 unidades instaladas em cidades do estado de São Paulo, entre elas Botucatu, a Mostra de Cinema Nelson Rodrigues 100 anos, que integra a programação especial em homenagem ao centenário de nascimento do dramaturgo. A mostra contempla as produções consagradas pela crítica e títulos menos lembrados que trazem diferentes olhares sobre a obra rodriguiana. As sessões que são gratuitas e com exibição em formato DVD, se iniciaram dia 3 de novembro e se prolongam até 15 de dezembro.

Os filmes selecionados são uma pequena amostra do conjunto de obras produzidas com base nas peças teatrais do autor. Os títulos “A Serpente”, “Bonitinha, mas Ordinária” e “Engraçadinha Depois dos Trinta”, cedidos pela Magnus Filmes, destacam o papel dos textos do dramaturgo na construção da cinematografia brasileira e a versatilidade de sua produção teatral.

“A Serpente”, última peça escrita por Nelson, começou a ser rodada nos anos 1980 pelo diretor Alberto Magno (filho de Jece Valadão). Já o longa “Bonitinha, mas Ordinária”, baseado em peça homônima de 1962, estreou na telona em 1964, com direção de J. P. Carvalho. Foi a segunda adaptação cinematográfica dessa obra do escritor. A primeira foi filmada em 1963 e a terceira em 2009.

O folhetim “Asfalto Selvagem – Engraçadinha, seus Amores e seus Pecados” foi publicado pela primeira vez em capítulos no jornal carioca Ultima Hora, em 1959. A série deu origem a dois filmes. “Engraçadinha Depois dos Trinta” é a sequência de “Asfalto Selvagem” (1964), ambas produções do mesmo diretor, J. B. Tanko. Em Botucatu a inscrição e horários para assistir aos filmes podem ser feitas pelo telefone (14) 3811-4474.

{n}Sobre o projeto {/n}

O projeto do SESI-SP em comemoração ao centenário de Nelson Rodrigues inclui espetáculos, leituras dramáticas, exposição, exibição de filmes, debates e oficinas. Os destaques da programação, que tem curadoria de Ruy Castro, biógrafo de Nelson, e direção artística de Marco Antônio Braz, especialista na obra rodriguiana, são a abrangência das atividades, a participação de personalidades (entre as quais muitas pessoas que conviveram com ele), a abordagem de aspectos menos conhecidos do dramaturgo – como jornalista, escritor, cronista esportivo e folhetinista – e o caráter pedagógico das ações com os mais de 400 alunos de iniciação teatral dos Núcleos de Artes Cênicas do SESI-SP.