Romero Britto poderá expor suas obras no Museu do Café

Desde o inicio do ano passado o coordenador do Núcleo do Museu do Café da Fazenda Lageado José Eduardo Candeias, vinha mantendo contatos objetivando trazer para Botucatu uma exposição com obras do artista plástico Romero Britto. No final de 2012, por meio da também artista plástica Wânia Rodrigues que expôs seus trabalhos no Museu e que conhece Robson Britto, essa possibilidade ficou mais perto de se concretizar.

Os contatos continuaram com a galeria “Studio de Art” (www.studiorobsonbritto.com.br), responsável pelas exposições de Romero. Na semana passada um representante da galeria veio ? Botucatu, atendendo convite de Candeias, especialmente para conhecer o espaço do Museu do Café utilizado para abrigar as exposições e ficou de encaminhar a relação de detalhes fundamentais para que a exposição aconteça.

Romero Britto é considerado atualmente um dos mais importantes pintores brasileiros. Natural de Pernambuco pinta desde os oito anos. Seus quadros invocam o espírito de esperança e transmitem sensação de aconchego. Atualmente morando em Miami, Brito tem obras em São Paulo, Belo Horizonte, Miami, Suíça, Tel Aviv, além de também ter obras com artistas renomados.

O trabalho do artista não se limita a telas, mas se estende a uma gama muito grande de produtos licenciados com o seu traço característico. A expectativa é que a exposição, inédita na região, aconteça ainda no primeiro semestre. O Museu, que desde 2009, já abrigou exposição com trabalhos de artistas como Aldemir Martins, Ziraldo, Ilka Lemos, Franco Belli, Grupo Oka, Osmar Santos, dentre outros, com essa iniciativa deve marcar a comunidade artística não só da cidade, mas de toda região.

{n}Atual exposição{/n}

Vale lembrar que a atual exposição “Quando a cor dialoga com a forma”, que está no Museu, com obras de Célia Nahas Garcia, já foi visitada por mais de 1500 pessoas. A mostra vai até a próxima quinta-feira (21) e a próxima exposição já está agendada.

Com inicio em 23 de fevereiro, e duração de um mês, o Museu irá expor, pela primeira vez, 15 obras da artista Anilza Aerts. Nessa exposição intitulada “A épica da simplicidade” Anilza “apresenta uma série de nus femininos, trazendo ? tona representações de corpos por meio de recursos visuais”. A curadoria é de Oscar D´Ambrosio e o produtor cultural é Ricardo Cardoso. No próximo boletim traremos mais informações.

Outra nota vinda da assessoria revela que o Museu recebeu a visita de Leonor Bertola, acompanhada de sua filha Julieta, e um casal de amigos. Leonor, única mulher do casal Atílio e Maria, nasceu na Fazenda Lageado e, juntamente com seus irmãos Anibal, Orlando e Júlio já haviam visitado o Museu em 2010, ocasião em que, por meio de uma foto, foi feito o registro, após 70 aos em relação a uma foto em que Leonor aparece com todos os seus cinco irmãos.

{n}Mais visitantes{/n}

Durante o período de carnaval o Museu funcionou no sábado e no domingo, permanecendo fechado na segunda e terça-feira. Sábado e domingo o museu contabilizou 452 visitantes, sendo 59 no sábado e 393 no domingo. Grande parte do público que visita o Museu é formada por famílias que, aproveitando a abertura durante os finais de semana e feriados, trazem seus parentes para conhecer e alguns, para rever, o acervo e aproveitar do espaço oferecido pela área histórica.

“O terreiro passa a ser o local de encontro de famílias inteiras, as mesas instaladas no barracão auxiliam para um lanche rápido e um bate papo e a natureza oferece tudo aquilo que as pessoas procuram: paz, tranqüilidade e momentos de descanso e revitalização. Isso tudo reforça a tese que a Fazenda Lageado continua sendo um grande parque aberto ? população”, disse Candeias. “Já a área histórica é admirada por todos pela grandiosidade e imponência de suas construções e pela história que representa. O Museu é uma verdadeira volta no tempo”, complementa o coordenador do Núcleo.