Recuperado quadro do antigo “Grupo Escolar Lajeado”

O Museu do Café da Fazenda Lageado possui um quadro confeccionado em madeira com o contorno do mapa do Brasil, sendo que no interior desse mapa existiam fotografias de diversas autoridades, além dos alunos que se formaram no Grupo Escolar Lajeado (com “j” diferente do nome da Fazenda que é com “g”) na turma de 1958 a 1962.  Além disso, uma moldura, confeccionada em madeira de pé de café, dá o acabamento final a essa importante peça.

 

O Grupo funcionou nas dependências da antiga Estação Ferroviária, que atualmente abriga a escola do projeto Senar, localizada próximo a entrada da Portaria II da rodovia Alcides Soares. “Ocorre que, apesar dos esforços, não havíamos conseguido recuperar as fotos originais que ocupavam integravam o quadro. Recentemente essas fotos foram encontradas e, a partir daí, começou o trabalho para identificar as pessoas retratadas nas fotografias”, disse o Coordenador do Núcleo, Joe Eduardo Candeias, que manteve contato com José Wladimir Catarino, conhecido como “Zé do Grupo”, morador à Rua Tenente João Francisco, na Vila dos Lavradores, que trabalhou no Grupo Escolar.

 

“Ao ver as fotos, imediatamente o Sr. José passou a lembrar, praticamente de todos nos nomes. Importante destacar que de alunos são vinte e uma fotos, mais oito fotografias de autoridades. Dentre as autoridades temos: o Dr. Waldemar Gadelha, Diretor da Estação Experimental de Botucatu, Dom Henrique Golland Trindade, Arcebispo Metropolitano, o Professor Américo Virgilio dos Santos, então Delegado de Ensino, as professoras Nair Barcarolli Barbéris e Elza Vicentini Soares, o Professor Bernardo Juvenil Celso. Surpresa maior para o Sr. José foi encontrar a sua própria foto, como funcionário do Grupo, integrando esse quadro”, colocou o coordenador, lembrando que as fotos, foram recolocadas no quadro e foi providenciado um painel com os nomes de todos.

 

Outra notícia vinda do Museu do Café diz respeito ao Endosso Institucional é quer desde 2007 o Museu do Café vem desenvolvendo ações no projeto “Arqueologia no Campus”. Dessa forma, o Museu está registrado junto ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Recentemente o Museu foi procurado pelo Secretário Municipal do Meio Ambiente, Perseu Mariani objetivando fornecer um “Atestado de Endosso Institucional” para ser protocolado naquele Instituto para a realização das obras de prospecção arqueológica no projeto denominado “Adequação da Infraestrutura do Parque Municipal Cachoeira da Marta”.

 

Os trabalhos estarão sob a coordenação científica do arqueólogo Issac Amorim dos Santos, contratado pela Prefeitura Municipal de Botucatu. Pelo instrumento, caso venham a serem encontradas peças arqueológicas no espaço dos trabalhos, as mesmas deverão permanecer sob a guarda e responsabilidade do Museu do Café, para fins de pesquisa e exposição.