Receita e Unifac lançam Núcleo de Apoio Contábil e Fiscal

Cecília Anderlini, mantenedora da Unifac, disse que  é um momento fantástico, poder sediar o NAF e isso ocorre por conta do reco­nhecimento do trabalho e con­fiança na instituição

 

O curso de ciências contábeis das Faculdades Integradas de Botucatu – Cepra/Unifac,  lançou, oficialmente, o NAF – Núcleo de Apoio Contábil e Fiscal (NAF), na sede da instituição de ensi­no, em parceria com a Re­ceita Federal. O NAF é um projeto da Receita Federal em parce­ria com as instituições de ensino superior. O objetivo é oferecer serviços con­tábeis e fiscais gratuitos para pessoas físicas e jurí­dicas de menor poder aqui­sitivo e ao mesmo tempo contribuir para o desenvol­vimento técnico e prático dos alunos.

Cecília Anderlini, mantenedora da Unifac, definiu a importância do projeto. “É um momento fantástico, poder sediar o NAF e isso ocorre por conta do reco­nhecimento do trabalho que é feito aqui, pela con­fiança na instituição, em um trabalho sério. As pes­soas (de Botucatu e região) nos conhecem há bastante tempo, mas quando o re­conhecimento é externo, realmente alegra muito”, disse ao Diário, antes do evento.

Em seu discurso, a mantenedora lembrou-se da traje­tória da Faculdade. “Prédios contam a história de uma Cidade. Quando este pré­dio foi construído, esta região pouco ou nada ofe­recia. A Cidade cresceu em direção à Unifac e foi além. Nos orgulhamos de ser um marco, além de físico, de conhecimento. Através da educação podemos modifi­car e modificar as pessoas. Nossa faculdade é pequena em tamanho, mas é gran­de, muito grande, na edu­cação, no trabalho…”, disse Cecília Anderlini, com voz a embargada.

Professor e coordenador do curso de ciências contá­beis, o professor Osses de Toledo e Silva recordou da primeira turma nessa área, iniciada em 2002 e reve­lou que já foram formados mais de 200 alunos desde então. Ele também desta­cou que muitos alunos aca­bam sendo aprovados no CRC antes mesmo de con­cluírem o curso.

Maria Estela de Oliveira, chefe da DIVIC – Divisão de Interação com o Cidadão, em São Paulo, analisou que o ganho será dos alunos, por conta da experiência adquirida com a prestação do serviço e os estudos so­bre essa área, mas também da Receita que amplia a prestação de serviços, mas em sua opinião, principal­mente quem ganha é a so­ciedade.

Delegado da Receita Federal de Bauru, Marcos Rodrigues de Mello argu­mentou que esse projeto extrapola a questão da educação. “A educação é uma parte fundamental, mas extrapola. Com certe­za os alunos sairão daqui como profissionais dife­renciados pelo que irão aprender participando dis­so, mas quem ganha mais é o cidadão”, discursou.

Também presente ao evento, o superintendente adjunto da Receita Federal Marcelo Barreto de Araújo, analisou a parceria com a Unifac, dizendo que “quan­do o parceiro coloca o co­ração, tem tudo para dar certo”, em referência ao discurso emocionado da mantenedora Cecília An­derlini.

Segundo Araújo, esse projeto começou no Rio Grande do Sul, tornou-se nacional e acabou sendo “exportado” para outros países. Também comentou que a Receita Federal foi pioneira em prestação de serviços online, que atual­mente 6 milhões de pesso­as físicas recorrem a essa opção, mas que o atendi­mento presencial também necessita de ampliação e considera que o NAF é um importante caminho nesse sentido.

Em seguida, Bárbara Monte Fortunato Luna, re­presentante do NAF de São Paulo, fez uma palestra so­bre o projeto para alunos e professores do curso de ciências contábeis. Mais informações: 3815- 2500.

Fonte: Da Assessoria da Unifac