Radioamadores promovem encontro em Botucatu

Mesmo com a verdadeira revolução tecnológica dos meios de comunicações, como telefonia celular, internet e seus programas de transmissão mundial de dados, voz e imagem os radioamadores permanecem ativos e com regularidade promovem encontros para troca de informações, confraternização, legislação, mudanças tecnológicas, feira de troca e venda de produtos novos e usados.

Tendo a maioria formada por antigos adeptos do hobby de se comunicar por rádios, a tecnologia moderna, principalmente a internet, está minando a renovação de pessoas. A maioria dos adeptos está no radioamadorismo há mais de 40 anos e a maioria dos que estão entrando estão nessa faixa etária.

Um retrato dessa realidade foi o recente encontro de radioamadores realizado em Botucatu no Espaço Cultural Antônio Gabriel Marão que reuniu dezenas de radioamadores para uma confraternização e comemorar os 20 anos de existência repetidora localizada no morro do Distrito de Rubião Júnior.

Também aconteceu no local exposição de carros antigos, motocicletas e feira de pulga (troca e venda de equipamentos). Também chamou a atenção dos visitantes a rara coleção de rádios antigos do colecionador botucatuense Carlos Rodrigues. Entre as peças um gramofone em perfeito estado de conservação e funcionando e um fonógrafo.

Além de Botucatu e outras cidade da região, passaram pelo evento radioamadores do Rio de Janeiro, São Paulo, Carlópolis, Ourinhos, Campinas, Bauru, Taquarituba, Piracicaba, entre outras. Os organizadores do evento estimaram a presença de mais de 530 pessoas no Espaço Cultural.

De Botucatu estiveram no evento: Pedro Zucary, Divanil  Ribeiro; Marcos Andrade, Paulo Gasparini,  Alexandre Mattos, Luciano Giandoni, Hibrain Germano, Francisco Milanezi,  Paulo Vieira, Bruno Rosseto,  Alexandre  Zanella, Vantuir Martins e Edenir Engela.

Os amantes do radioamadorismo são fiéis e milhares deles estão espalhados por todo Brasil e há otimismo no ar, segundo os praticantes da modalidade. O futuro da radioemissão está nas mãos dos veteranos e dos novos adeptos. A tecnologia com uso de ferramentas e programas modernos permite a convergência com rádio e celular.

No presente, os rádios amadores lutam pela aprovação de projeto de lei que reduz ou mesmo isenta de impostos de importação a entrada de equipamentos para uso de radioamadores. A ideia é reduzir preço, tornando mais acessível os equipamentos, que agora são fabricados também pela China, além da tradicional industrial japonesa.