Projeto contra obesidade infantil chega a região Sul

 

Dando continuidade ao projeto Saúde na Escola contra a obesidade infantil foi realizado mais três etapas. Desta vez com os alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental – Antenor Serra, no Jardim Reflorenda, região Sul de Botucatu. O projeto é liderado pela Professora Gisele Bertoloni, coordenadora de Atividades Esportivas da Secretaria Municipal de Educação.

Segundo  Marileide Vieira, terapeuta ocupacional, e Clodoaldo Polimeni, professor de Educação Física, após a coleta de dados verificou-se que cerca de 160 crianças (de um total de 590 alunos da escola), de 6 a 10 anos,  estão com excesso de peso. O dado mais alarmante é que pela classificação do IMC: 37 estão obesas e 66 apresentam obesidade grave.

As três etapas que compõem o projeto são: coleta de dados dos alunos (peso e altura) e classificação do IMC (Índice de Massa Corporal); reunião com o corpo docente para informação e implantação de um “momento saúde” na rotina diária em sala de aula, como forma de conscientização e mudança de cultura por parte dos alunos em relação ao lanche, à alimentação equilibrada e o lazer ativo; e palestra de conscientização para os pais, com informações sobre os riscos causados pela obesidade e as principais mudanças a serem feitas para sanar este problema, incluindo solicitação de encaminhamento médico. 

Para a secretária municipal de Educação, Alessandra Lucchesi de Oliveira, com este projeto a Coordenadoria de Educação Física realiza um trabalho de conscientização quanto à saúde de seus alunos. “É muito importante estarmos atentos quanto aos hábitos alimentares dos nossos alunos, pois a obesidade em jovens e adolescentes está se tornando crônica. O aluno passa boa parte de seu tempo diário nas unidades escolares e este período deve ser levado em consideração, onde os educadores procuram fazer um trabalho de mudança de cultura na reeducação alimentar “, argumenta.

Sobre o  projeto

Sobrepeso e obesidade são definidos como acúmulo de gordura anormal ou excessivo que podem prejudicar a saúde. A prevalência mundial de excesso de peso infantil aumentou de 4,2% em 1990 para 6,7% em 2010 e estima-se que em 2020 alcançará 9,1%. 

Os números são alarmantes. Em 2010 estimou-se que 43 milhões de crianças estavam com excesso de peso e 92 milhões estavam em risco de sobrepeso e esse quadro se agrava constante e cada vez mais precocemente como observado em 2011, onde mais de 40 milhões de crianças com menos de cinco anos estavam com excesso de peso.

No Brasil, 34,8% e 16,6 % das crianças de 5 a 9 anos foram diagnosticadas com sobrepeso e obesidade, respectivamente. Entre a população com idade entre 10 a 19 anos, 21,5% estavam com sobrepeso e 5,8% obesos.

Em Botucatu, o projeto Saúde na Escola tem como objetivo fazer um levantamento das crianças obesas dentro de cada unidade escolar. De posse dessa informação, inicia-se um processo de conscientização dos educadores, alunos, pais e responsáveis quanto aos danos causados pela obesidade e orientação quanto às mudanças que deverão ocorrer para amenizar e até mesmo sanar o problema. 

Também se pretende estabelecer um programa de atividade física para o tempo de lazer de crianças e adolescentes com obesidade, diminuindo assim o tempo que elas gastam em atividades sedentárias. 

A equipe do projeto Saúde na Escola conta com a coordenadoria da Profª Gisele Cristina Bertoloni, auxiliadas pelos os profissionais de Educação Física, Clodoaldo Polimeni e Edilaine Michelin, a terapeuta ocupacional, Marileide Vieira, e as nutricionistas, Meire Cristina Gea e Mônica Mazzini Silva.