Pessoas com deficiência ganham novos equipamentos

Grupo conheceu as piscinas que compõem o complexo aquático do Centro Paradesportivo, que deverão ser inauguradas até o final do mês e servirá para o lazer e processos de reabilitação física   

 

Caravana formada por pais e alunos atendidos pelo CIEEJA (Centro de Integração e Educação Especial de Jovens e Adultos) percorreu as instalações de novos equipamentos públicos voltados ao atendimento preferencial de pessoas com deficiência que se encontra em fase final de construção.

O grupo também teve a oportunidade de visitar a sede da APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais). O prefeito João Cury Neto; a secretária municipal de Educação, Alessandra Lucchesi de Oliveira e o presidente da APAE, José Armando Pescatori também acompanharam a visita. 

O secretário de Esportes, Lazer e Turismo, Antonio Carlos Pereira, apresentou toda a estrutura do Centro de Tecnologia e Inclusão Social. Este novo equipamento, em fase final de construção junto ao ginásio municipal de esportes, no Bairro Alto, deverá oferecer oficinas e atividades voltadas principalmente ao desenvolvimento intelectual, estímulo à autonomia e preparação para o mercado de trabalho.  Ao lado, o grupo conheceu as piscinas que compõem o complexo aquático do Centro Paradesportivo, que deverão ser inauguradas até o final do mês. O local servirá para o lazer e processos de reabilitação física.   

O secretário de Saúde, Claudio Miranda, apresentou a estrutura do Centro de Reabilitação Lucy Montoro, que também está em fase final de construção nas antigas dependências da Brashidro, na Rodovia Marechal Rondon. A caravana percorreu as dependências do prédio e conheceu em detalhes como será o funcionamento desse equipamento público de saúde que deverá ser inaugurado no início do segundo semestre de 2016.  Ao final, os pais e alunos do CIEEJA visitaram as instalações da APAE, conheceram de perto toda a estrutura de atendimento e as inúmeras atividades que são desenvolvidas no local. 

A sugestão apresentar a estrutura que a cidade passará a disponibilizar para o atendimento das necessidades das pessoas com deficiência partiu do prefeito João Cury durante reunião realizada no final de Dezembro, com pais de alunos atendidos pelo CIEEJA. Na ocasião foi tratada da transferência dos alunos para as instalações do APAE, em uma ação integrada entre as duas instituições. 

Nesta reunião, a secretária de Educação informou que a proposta busca fortalecer as ações, ampliar a oferta de vagas, qualificar o atendimento e assegurar que alunos com mais de trinta anos, que por força estatutária são obrigados a deixar o CIEEJA, continuem sendo assistidos.  Na ocasião, Alessandra Lucchesi explicou que por meio de convênio, a Prefeitura deverá transferir recursos para que a APAE execute a reforma de um bloco que se encontra desativado, colocando o espaço em condições para receber os 53 alunos do CIEEJA. 

“Todos os recursos materiais, a direção e a equipe de professores e demais funcionários serão mantidos e transferidos para o novo local. Além de funcionar em um prédio em condições mais adequadas para o trabalho de estimulação sensorial, os alunos passarão a contar com novos benefícios, que incluem apoio e atendimento clínico prestado por fonoaudiólogos, fisioterapeutas, neurologistas, psicólogos, terapeuta ocupacional, assistentes sociais e dentistas. Também serão integrados a projetos de artes que incluem trabalhos com dança, música e teatro, além de hidroterapia”, comentou Alessandra. 

O prefeito João Cury Neto, que fez questão de acompanhar o passeio em todas as instituições, reforçou a importância de dar total transparência ao processo, permitindo que os pais esclareçam todas as dúvidas quanto ao futuro de seus filhos. 

“Toda mudança gera desconforto e preocupação o que é perfeitamente compreensível. Agradeço a todos por este gesto de confiança, e o consentimento dos pais e familiares nos dá uma responsabilidade em dobro e gera em nós uma gratidão enorme. Nós vamos trabalhar muito, não só para atender as expectativas de vocês, mas também para superá-las. Toda esta grande estrutura que vocês conheceram hoje, foi feita para os pais e para os alunos que irão desfrutar de todos os benefícios que serão oferecidos para as pessoas com algum tipo de deficiência. Iremos trabalhar para que a inclusão seja a geração de oportunidades para todos vocês”, declarou.

 

Obras em andamento

No primeiro semestre, a Prefeitura e o Governo do Estado deverão inaugurar as instalações do Centro de Tecnologia e Inclusão Social e a primeira etapa do Centro Paradesportivo, construídos em área anexa ao ginásio municipal de esportes “Dr. Mário Covas Júnior”, no Bairro Alto. O projeto prevê mais de 3 mil m² de área construída divididos entre os dois complexos.

O Centro de Tecnologia e Inclusão Social contará com áreas para Oficina de Orientação Profissional, Oficina Cultural (Teatro/Vídeo), Oficina de Artesanato, Oficina de Tecnologia em Informação e Comunicação, Acessa São Paulo, Pátio de Convivência, sanitários adaptados, recepção, diretoria, secretaria e anfiteatro para 200 pessoas. 

Já a primeira etapa do Centro Paradesportivo inclui salão de fisioterapia, vestiários, administração, piscina de hidroterapia (aquecida) e piscina semi-olímpica com 4 raias (aquecida). Já está em licitação a construção de um ginásio coberto voltado ao treinamento e competições de modalidades paraolímpicas. 

Além disso, está pré-agendada para Junho de 2016 a inauguração da unidade do Centro de Reabilitação da Rede Lucy Montoro, voltado à reabilitação e recuperação de pessoas com deficiência. O prédio está em fase final de construção às margens da Rodovia Marechal Rondon, no antigo prédio da Brashidro. O imóvel foi adquirido em 2009 pela Prefeitura e cedido ao Governo do Estado. No local também funcionará o AME (Ambulatório Médico de Especialidades). Os investimentos são da ordem de R$ 15 milhões.

O Centro de Reabilitação Lucy Montoro proporciona o melhor e mais avançado tratamento de reabilitação para pacientes com deficiências físicas incapacitantes, motoras e sensório-motoras, de acordo com as características de cada paciente. Os tratamentos são realizados por equipes multidisciplinares, composta por profissionais especializados em reabilitação, entre médicos fisiatras, enfermeiras, fisioterapeutas, nutricionistas, psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, educadores físicos e fonoaudiólogos. 

 

CIEEJA

Esses novos equipamentos, além de ampliarem a oferta de serviços em áreas importantes como saúde, cultura, esportes e qualificação profissional, também permitirão que crianças, jovens e adultos atendidos por unidades escolares e instituições especializadas possam desenvolver uma série de atividades no contra turno, permitindo a criação de uma rede de atenção específica para esse público em período integral.