Peça “Mulheres Líquidas” será exibida no Municipal

O tempo das mulheres é o mesmo dos homens? Como fica a relação entre homens mulheres no mundo contemporâneo? São os questionamentos que o espetáculo teatral “Mulheres Líquidas” que permeiam universo feminino, sendo esta é a primeira obra de direção teatral de Flávia Hiroki. Rodeados pelas ideias do filósofo polonês contemporâneo Zygmunt Bauman, o nome da peça faz menção a temas atuais.

Para Bauman, autor de “Vida Líquida”, “Medo Líquido” e “Amor Líquido” entre outros, a liquidez é a essência máxima do ser contemporâneo. Segundo ele a transformação das relações humanas em mercadoria produz um sentimento de fragilidade e incerteza que domina todas as esferas da vida afetiva e social onde mulheres dominadas pelas leis e normas do mercado são, constantemente, obrigadas a romper com o velho e manter uma relação útil e descartável com as coisas ao seu redor.

Segundo Hiroki, o espetáculo de pesquisa experimental mergulhou no processo de criação de teatro-dança de Pina Bausch e se inspirou em poemas e contos de Clarice Lispector, Lygia Fagundes Telles, Hilda Hilst e inquietações sobre o universo feminino. “Porém, são homens que contam esta história”, adianta a diretora.

Três atores decidem como podem ou não ver esta situação e o que fazer por ela. E é nesta busca pela mulher, do que é ser feminino que deparam-se com o mundo pós-moderno no qual parece impossível falar em uma identidade feminina e é inútil buscar alguma essência da noção de mulher.

“Frustrações, cinismo, efemeridade, valor de mercado e valor afetivo e longe de buscar soluções, a peça busca um olhar menos solitário desta modernidade individualista e líquida”, enfoca Flávia Hiroki, lembrando que o espetáculo foi selecionado no Concurso de Apoio a Projetos de Primeira Obra de Artes Cênicas no Estado de São Paulo.

A estreia de “Mulheres Líquidas” acontece nesta quinta-feira (19), a partir das 20h30 no Teatro Municipal “Camilo Fernandez Dinucci”, de Botucatu com entrada franca para o público. Os interessados podem adquirir os ingressos antecipados na portaria do teatro, durante o horário comercial ou antes do início do espetáculo.

{n}Ficha técnica{/n}

Direção: Flávia Hiroki – atriz, formada pela Unicamp e produtora de eventos pós-graduada pela Universidade Anhembi Morumbi. É mediadora cultural no Sesi de Botucatu e coordena o Núcleo de Montagem na Associação Teatral Notívagos Burlescos.

Gustavo Faria – ator e arte educador, formado pela USC Universidade do Sagrado Coração – USC e pós-graduando em Arte e Cultura pelo Instituto de Artes da Unesp. É mediador cultural do Instituto Flora Vida. Coordena a Oficina de Interpretação na Associação Teatral Notívagos Burlescos.

Vinicius Gil – ator e arte educador, formando em Artes Cênicas pela Universidade do Sagrado Coração – USC. É também bailarino e acrobata. Atua como educador no projeto Casa de Cultura e Cidadania. Coordena ainda a oficina de iniciação teatral na Associação Teatral Notívagos Burlescos.

Murilo Andrade – ator e músico. Atua como ator na Quadrilha de Teatro Notívagos Burlescos, participando de diversas montagens de peças teatrais como Colégio dos Anjos, Fidélis entre outras e é integrante da banda Sambora.

Designer de Luz: Robert Coelho

Trilha Sonora: Júlio Cumbica Polizeli e Flávia Hiroki com composições de Rafael Vanazzi, Pedro Assad e Meretrio e Osni Ribeiro.

Figurinos: Heidi Monezzi

Cenografia: o grupo e Paulo Bassetto

Voz em off: Carol Galvani

Fotografia: Ricardo Romero