Osmar Santos e Wânia Rodrigues expõem no Lageado

Fotos: Valéria Cuter

De 18 de setembro a 18 de outubro. Será esta a temporada para visitação pública da exposição de Osmar Santos e Wânia Rodrigues no Museu do Café da Fazenda Lageado, de Botucatu. Os dois artistas estiveram presentes nas solenidades de abertura da Mostra, que tem entrada franca para o público interessado.

Durante a abertura da exposição Osmar Santos fez a doação de uma de suas telas para a “Associação Oncológica Santo Agostinho”, responsável pela construção do “Hospital de Prevenção do Câncer de Botucatu”. O objetivo é que essa tela seja leiloada revertendo o valor apurado para essa importante obra que tem ? frente o escritor Francisco Marins, juntamente com um grupo de botucatuenses abnegados nessa causa.

Osmar Santos, como é de conhecimento público, no auge da carreira como locutor e comentarista esportivo, sofreu grave acidente automobilístico em 1994. A partir daí sua vida mudou completamente e a pintura entrou como atividade terapêutica.

Ele que conduziu os grandes comícios das “Diretas Jᔠna década de 80, agora utiliza a pintura como fonte de prazer. Já expôs em diversos espaços e suas obras já constam dos catálogos e coleções no Brasil e no exterior. Em 2010, pela primeira vez, Osmar expôs seus trabalhos no Museu do Café. Este ano comemora onze anos de pintura com exposições já realizadas em várias cidades.

Wânia Rodrigues (www.waniarodrigues.com.br), é autodidata e já expôs seus trabalhos em coletivas e mostras individuais por todo o Brasil e em outros países. Suas telas fazem parte do acervo do Hospital Dante Pazzanese, em São Paulo e em coleções particulares de Romero Britto, Chico Caruso e Yoko Ono, viúva de John Lennon.

Trabalhos de Wânia já freqüentaram galerias de Nova York e Miami. Espiritualista, se baseia nos quatro elementos para representar suas pinturas que são lúdicas e bem coloridas. É, também, Agente Cultural e Curadora da Academia Brasileira de Arte e Cultura e História, desde 2005.

De acordo com o diretor do núcleo do Museu do Café, José Eduardo Candeias, esta é uma oportunidade do público conhecer o trabalho de dois artistas ao mesmo tempo. “Será uma exposição em dose dupla com dois artistas diferenciados”, disse.

Candeias lembra que o Museu do Café fechou o mês de agosto com 1.722 visitantes. Já no ano o número de visitantes atingiu a expressiva marca de 12.795. Somando o número do mês de agosto com o acumulado desde 2006 são exatos 85.475 visitantes. Agora o objetivo é superar a marca do ano de 2011 que foi igual a 18.358 visitantes.