Ordem de serviço para obra da Pinacoteca foi assinada

Foto: David Devidé

A Prefeitura de Botucatu realizou na manhã deste sábado (7) a assinatura da ordem de serviço para início das obras de reforma e adequação do antigo Fórum para a instalação da primeira unidade da Pinacoteca no interior do Estado de São Paulo. O evento aconteceu no palanque de autoridades montado na Avenida Dom Lúcio para o tradicional desfile cívico em comemoração ao Dia da Independência do Brasil.

A obra será viabilizada por meio de convênio assinado junto ao Governo do Estado de São Paulo, com um repasse de R$ 11 milhões ao Município. A empresa vencedora do processo licitatório foi a 2N Engenharia LTDA, que será responsável pela execução do serviço. A previsão é que o prédio restaurado seja entregue em até 18 meses.

O projeto prevê, além dos serviços de restauro, impermeabilização, pintura, hidráulica, elétrica e iluminação, também a construção de calçadas e paisagismo no entorno do prédio que tem área total construída de 2.878 m², dividido em subsolo, térreo, primeiro, segundo, e terceiro pavimentos.

A Pinacoteca de Botucatu irá abrigar salas voltadas a exposições temporárias e de longa duração (pintura, gravuras, fotografias), para o setor educativo, leitura, estudo, restauro, ateliês, biblioteca, recepção/bilheteria e um auditório para conferências, além de sanitários e salas para o setor administrativo. Tudo com acessibilidade adequada através de rampas e elevadores.

Um dos destaques será o Museu de Arte Contemporânea Itajahy Martins, que será instalado no térreo do edifício. A tradicional instituição museológica da Cidade, que em 2014 completa 30 anos, tem cerca de 300 obras de importantes artistas nacionais e internacionais, com grande potencial de dialogar com o acervo da Pinacoteca de São Paulo.

A Pinacoteca de Botucatu receberá, periodicamente, parte do acervo da Pinacoteca do Estado. A proposta é que o grande salão do júri do primeiro pavimento seja ocupado com uma exposição de longa duração, tendo como tema o panorama da arte brasileira da segunda metade do século XIX até os dias atuais. As salas menores deste andar serão utilizadas para exposições temporárias de fotografia e gravura.