Novo núcleo do Parque Tecnológico fomentará empreendedorismo

O prefeito de Botucatu, João Cury Neto, assinou na manhã desta quarta-feira (4) o Decreto Lei que cria o Núcleo de Empreendedorismo e Inovação do Parque Tecnológico Botucatu – NEI. A formalização foi acompanhada pelo secretário municipal de Ciência e Tecnologia, Carlos Costa; do diretor executivo da Associação Parque Tecnológico Botucatu, Antonio Vicente da Silva; da Profa. Maria Inês Pardini, diretora científica do Parque.

Também estiveram presentes os representantes das instituições que assinaram o termo de adesão ao NEI: Dra. Maria Dalva Cesário, diretora do Instituto de Biociências de Botucatu (IBB); Dra. Maria Cristina Pereira Lima, vice-diretora da Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB); Prof. Carlos Frederico Wilcken, vice-diretor da Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA); Dr. José Paes de Almeida Nogueira Pinto, diretor da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ); Prof. Roberto Antonio Colenci, diretor da Faculdade de Tecnologia (Fatec); Dr. Rui Seabra Ferreira Jr., diretor do Centro de Estudos de Venenos e Animais Peçonhentos (Cevap); Silvia Furio, gerente do escritório regional do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas); além de Luciane Somera, proprietária da unidade Botucatu do Centro Brasileiro de Cursos (Cebrac).

A proposta deste núcleo é estabelecer um programa de aproximação regional entre as instituições de ensino e o Parque Tecnológico Botucatu e, assim, estimular o empreendedorismo como opção de carreira aos jovens universitários. Além disso, possibilitará que o segmento acadêmico e o mercado atuem de forma conjunta e desenvolvam projetos que venham gerar novos negócios e riquezas.

De acordo com o secretário de Ciência e Tecnologia, Carlos Costa, serão montados “observatórios” em cada uma das instituições parceiras, onde serão desenvolvidos programas de apoio a professores e alunos daquela instituição no que diz respeito ao empreendedorismo, estimulando cooperações técnica, científica, educacional e cultural entre os seus participantes. O desafio principal será de inserir o empreendedorismo como conteúdo complementar dos cursos superiores.

“A metodologia adotada tomará como referência a Escola de Negócios do Sebrae-SP, com quem em breve assinaremos convênio. Trata-se de um projeto inédito e que já demonstrou ser um modelo de sucesso para a disseminação do empreendedorismo junto aos estudantes. Queremos começar a primeira etapa no segundo semestre deste ano”, informa.

Em seu discurso, o diretor executivo da Associação Parque Tecnológico Botucatu, Antonio Vicente da Silva, relembrou todo processo de criação do Parque Tecnológico Botucatu, valorizou os parceiros que acreditaram no projeto, e traçou novas metas.

“Tudo começou com a Prospecta, a Incubadora de Empresas na FCA, que foi um embrião para tudo isso. Hoje já temos duas empresas (BPI e Omics) com contratos assinados para se instalar no Parque Tecnológico e outras a caminho. Agora é criado este Núcleo que é uma ação complementar. Através dele pretendemos não apenas gerar novos negócios, mas também transformá-los em impactos sociais”, argumenta.

O prefeito João Cury voltou a enaltecer o modelo adotado para a concepção do Parque Tecnológico Botucatu, institucionalizado em seu governo, e as ambições do Núcleo de Empreendedorismo e Inovação.

“O Parque Tecnológico ainda é visto pela maioria da população como algo distante à sua realidade. Mas tenho certeza que essa união de forças, materializada através do NEI, reúne todos os ingredientes para transformar a vida das pessoas na prática. E uma dessas maneiras é estimular e gerar oportunidades ao empreendedorismo nas nossas escolas e universidades, vocação que está no DNA do brasileiro”, afirma.

Vale ressaltar que outras instituições de ensino de Botucatu e região já estão em tratativas para também fazer parte do Núcleo de Empreendedorismo e Inovação do Parque Tecnológico Botucatu. Outras interessadas, devem entrar em contato junto à Secretaria Municipal de Ciência e Tecnologia ou com a equipe do Parque Tecnológico Botucatu.

Estrutura

Inaugurado em 14 de abril de 2015 e credenciado em 19 de janeiro de 2016, o Parque Tecnológico Botucatu é vocacionado ao desenvolvimento de novos produtos e serviços nas áreas de bioprocessos, biotecnologia, meio ambiente, produtos florestais, produtos naturais da fauna e da flora, tecnologias sociais e logística.

Possui uma área total de 360 mil metros quadrados, onde abriga o Centro de Gestão Tecnológica “Fernando Bandeira de Mello Marins”, edifício administrativo de 1.900 metros quadrados que conta com salas de reunião, espera e treinamento, instalações para diretoria, secretaria, administração, compras, manutenção, recepção, copa, sanitários, área de atendimento, hall, dois anfiteatros e auditório para 190 pessoas.

Também conta com uma área com 18 lotes de aproximadamente 1.500 metros quadrados, com completa infraestrutura destinada a instalação de Centros de Pesquisa e Desenvolvimento públicos e privados; outra área de 33 mil metros quadrados para a construção de um Centro Empresarial e uma Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de cerca de 5.500 metros quadrados; além de uma área para expansão de 220 mil metros quadrados.

O Governo do Estado e a Prefeitura de Botucatu já investiram cerca de R$ 11 milhões no empreendimento, incluindo estudos, infraestrutura, edificações e aquisição de mobiliário e equipamentos.

Empresas interessadas em se instalar no Parque Tecnológico Botucatu devem presentar projeto e preencher os requisitos estabelecidos nos chamamentos públicos disponíveis no site www.parquebtu.org.br.

Serviço

Parque Tecnológico Botucatu

Rodovia Gastão Dal Farra km, 7+184m

Tel.: (14) 3813-4659

E-mail: contato@parquetecnologicobotucatu.org.br

Site: http://parquebtu.org.br/

(Ass. de Imprensa da Prefeitura)