Museu do Café traz para Botucatu a arte de Conrado Zanotto

Em continuidade as exposições que o Museu do Café tem recebido desde 2008, para o mês de maio será realizada a exposição de grafite do artista Conrado Zanotto (conradozanotto.com). Conrado nasceu em Ourinhos, mas desde 2001 reside na capital, onde possui seu ateliê. O artista desenvolve sua arte em desenhos, pinturas, grafite, abstrato e digital.

No ultimo dia 9 Conrado esteve no Museu conhecendo o espaço e as possibilidades de melhor apresentar seu trabalho. Além de participar de exposições em diversas galerias paulistanas Conrado já expôs na sua terra natal, Ourinhos e no Rio de Janeiro, Porto Alegre, Alemanha e Argentina. Também teve seus trabalhos utilizados na propaganda do Fiat Dobló, e também no painel comercial da Fiat Veículos, ambos com veiculação nacional.

A exposição deve ser aberta dia 2 de maio permanecendo durante todo o mês. É a primeira exposição do artista em Botucatu. O Espaço Cultural do Museu, que já recebeu os trabalhos de Aldemir Martins, Ziraldo, Osmar Santos, Carla Prates e Franco Belli, agora abre espaço para o grafite, que a cada dia ganha seu espaço como arte e manifestação de criatividade artística.

{n}Campanha do Agasalho{/n}

O Museu está participando da Campanha do Agasalho 2012, capitaneada pela primeira dama do município Raquel Cury. Durante todo o mês de abril uma caixa para recepção dos agasalhos está instalada na porta principal do Museu. “É uma forma de envolver os visitantes do Museu nessa causa social e que tem como objetivo arrecadar roupas em condição de uso para serem distribuídas para os menos favorecidos”, disse o coordenador do Núcleo, José Eduardo Cadeias. “Muitas pessoas já deixaram sua contribuição e a pessoa pode aproveitar a visita ao Museu e doar agasalho ? campanha”, completa.

{n}Novas doações{/n}

Candeias lembra que o Museu continua recebendo doações, ampliando assim seu acervo expositivo e recebeu uma balança da marca Filizola, para uso em gabinetes médicos, com medidor de altura; um biombo confeccionado em madeira e com acabamento em cetim e um lustre de centro de sala com acabamento em ferro imitando cobre e porcelana, com três arandelas.

“Esses objetos foram doados pelo Dr. Augusto Cesar Montelli, docente da Faculdade de Medicina e serão expostos no Museu enriquecendo ainda mais o acervo de exposições. Além disso, foram também incorporadas ao acervo duas cadeiras antigas e uma banqueta para a mesa de degustação de café. Todos esses objetos fazem parte do projeto “Da Sua Casa para o Nosso Museu” sendo que o doador passa a ser mais um amigo da Fazenda Lageado”, disse Candeias.

{n}Copo comemorativo{/n}

No mês do aniversário da cidade de Botucatu o Museu recebeu um objeto extremamente significativo. É um copo de vidro, com a inscrição “Lembrança do 1º Centenário de Botucatu, 1855 – 1955”. O copo traz ainda a marca do patrocinador, no caso o “Café Tezouro” escrito com a letra “z”. Esse importante objeto foi doado para o Museu pelo Sr. João Carlos de Oliveira, e pertencia ao seu pai, o Sr. José de Oliveira, já falecido.

{n}Visitas monitoradas{/n}

Candeias alega que alguns visitantes reclamam na “Urna do Visitante” a falta de monitor para acompanhar a visita. Normalmente, segundo Candeias, essas manifestações acontecem nos finais de semana e feriados. O Museu conta em sua equipe com apenas três monitores que trabalham de segunda a sexta, sempre em dois, pois um deles trabalha o dia todo e os outros dois apenas meio período. Já nos finais de semana e feriados apenas um monitor é escalado.

“Dessa forma, fica inviabilizada a possibilidade de um único monitor acompanhar os visitantes. Esse mesmo monitor é responsável por distribuir o cupom de controle de visitantes, preparar o café e conferir, de tempo em tempo todas as salas do Museu. Durante a semana é possível contar com a visita monitorada. Outra opção é a visita de grupos, com agendamento prévio. Nesse caso, além da visita ao Museu o grupo conhece também o interior de alguns prédios do conjunto arquitetônico histórico.”, explica Candeias, ressaltando que para fazer o agendamento é só entrar na página da Faculdade de Ciências Agronômicas (www.fca.unesp.br), clicar no logotipo do Museu do Café, e sem seguida preencher o formulário próprio. “A intenção futura é contar com monitores em número suficiente para monitorar a visita mesmo nos finais de semana e feriados”, concluiu o coordenador do Núcleo.