Museu do Café bate recorde de público e exposições

No ano em que comemorou seu 25º aniversário o Museu do Café registrou diversos recordes no tocante ao público visitante. Fechado o ano com a marca surpreendente de 35.662 visitantes. Esses números são muito superiores aos registrados no ano de 2012 de 19.612 visitantes. Este ano superou a marca de 2012 em 16.050 visitantes.

Os números, segundo o coordenador José Eduardo Candeias foram alavancados pela exposição das obras de Romero Britto em abril/maio, que atingiu quase 11 mil pessoas. Mas, mesmo que excluído esse número do total do ano, ainda teria a expressiva marca de 24 mil visitantes.

“Além disso, também registramos a visita de estrangeiros em número superior a 230 pessoas, de acordo com registros no livro de visitantes, o que também passa a ser significativo. Enfim. O público vem prestigiando o Museu, seu acervo e, principalmente as diversas exposições realizadas. Já o acumulado no período de 2006 a 2013 atingiu exatos 127.953 visitantes. Esses números são superiores aos registros da população botucatuense de acordo com o ultimo censo do IBGE que apontou 127 mil habitantes. É como se toda população da cidade de Botucatu freqüentasse o museu em apenas 7 anos”, comparou Candeias.

Cita que muitos artistas plásticos nacionais e internacionais expuseram seus trabalhos no Museu, como Célia Nahas Garcia, Anilza Aerts, Marcos Akasaki, Cipriano Souza. Romero Britto. Osmar Santos, Christina Oiticica, João Claret Lyra, entre outros, além de convidados como o ex-jogador Zé Maria e Robson Brito. No último ato do ano o Museu trouxe o “Natal de Luzes no Museu do Café”, onde toda área foi iluminada.

Ao longo do ano o Museu esteve presentes na imprensa local e apareceu em programas de televisão como: Domingão do Faustão no quadro “Dança da Galera”, Revista de Sábado, Memórias de Botucatu da TV Alpha, “Jóias do Interior” e de “De Ponta a Ponta”, além da revista Moto Adventure, publicação específica com tiragem de 60 mil exemplares, e a Revista Giro das Estradas da concessionária CCR SP Vias, com tiragem de 300 mil exemplares.

O Museu também foi homenageado pela Câmara Municipal de Botucatu, por duas vezes, recebendo moções de congratulações e na Câmara Federal em Brasília, onde o deputado federal Guilherme Mussi do PSD-SP, leu na tribuna, documento registrando o trabalho desenvolvido pelo Museu e sua importância regional.

Durante o ano, o Museu recebeu algumas visitas como a de Jiro Nishimura, presidente da Fundação Shunji Nishimura de Pompéia, acompanhado de Alberto Honda, diretor da Fundação; atores Fernanda Motta, Ricardo Pereira e Raquel Bertani; Luciana Ferrari Gouveia, aluna do curso de Psicologia da Unesp, campus de Assis; fotógrafo Cláudio Rossi – Prêmio Esso de fotografia 1991; o empresário Alcides Franciscatto Junior, da empresa Expresso de Prata e sua esposa Suzana; o jornalista Giuliano Tamura, âncora do Jornal Tem Noticias da TV Tem, os lageadenses Clóvis Augusto Nery, filho do engenheiro agrônomo Clóvis Nery também passou pelo Museu, da mesma forma que os filhos do Dr. Eli de Araujo Souza, último diretor da Estação Experimental de Botucatu; Elivaldo e Emerson Araujo Souza, moradores em Curitiba e Botucatu respectivamente.

Outro ponto importante foi o processo de tombamento da área histórica da Fazenda Lageado que teve início em 1986, com parecer favorável do CONDEPHAAT em novembro de 2011, finalmente foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) em julho deste ano. Isso, sem falar das várias doações que aumentou o acervo histórico do Museu, por meio do projeto “Da Sua Casa para o Nosso Museu”.