Medicina de Botucatu lidera preferência dos candidatos

Fotos: Divulgação FMB

 

A diretora da Faculdade de Medicina da Unesp, professora Silvana Artioli Schellini, adiantou nesta sexta-feira (7) que o curso de Medicina de Botucatu poderá ter mais 30 vagas. Em mais de 50 anos de existência, a Unesp de Botucatu manteve as mesmas 90 vagas, ou seja, não abriu sequer uma nova (vaga) com a justificativa de falta de verba e de espaço físico.

“Estamos trabalhando junto a congregação universitária, reitoria e governo do Estado para que sejam criadas mais essas 30 vagas para Botucatu”, disse Schellini, tendo como trunfo os dados de que o curso de Medicina em Botucatu é o mais concorrido do Brasil, com 222,4 candidatos por vaga.

A discussão por novas vagas em Botucatu surgiu no ano passado quando um deputado estadual de Bauru pleiteou junto ao governo do Estado a criação do curso com 60 vagas, usando a estrutura de Botucatu. O fato chegou a gerar uma Audiência Pública na Câmara Municipal sendo a Universidade representada por José Carlos Peraçoli e pela própria Silvana Artioli Schellini.

Naquela ocasião Peraçoli salientou que com a permissão da congregação havia sido elaborado um projeto de expansão das vagas da FM de Botucatu em Bauru, porém a Unesp não abriria um novo curso em Bauru e nem a FMB será transferida para aquela cidade.

“A idéia era expandir os nossos trabalhos em Bauru. Essa expansão é importante para a Unesp, mas não iria prejudicar, nem enfraquecer Botucatu. Entretanto, não existe nada consolidado. Por enquanto é só projeto e não seria tirado nenhum centavo do orçamento da Unesp. O financiamento viria, diretamente, do governo Estado”, disse Peraçoli. “E teria (o projeto) que ser feito de acordo com o que foi planejado, pois a proposta visa a qualidade do ensino e não quantidade de vagas”, completa.

O prefeito João Cury também fez uso da palavra afirmando que a questão deveria ser debatida e lutaria por aumento de vagas em Botucatu. “Devemos debater o assunto, mas confio nos profissionais e membros da Unesp no sentido de que eles estão batalhando por aquilo que deve ser o melhor para Botucatu. Entendo que o momento político é este para lutar por aumento de vagas, se a congregação concordar”, colocou.

A Universidade Estadual Paulista está presente em 23 cidades do Estado de São Paulo com 32 faculdades e institutos, onde desenvolve atividades de ensino, pesquisa e extensão em todas as áreas do conhecimento. Oferece 168 cursos de graduação e 112 programas de pós-graduação. Tem 46,5 mil alunos (34,5 mil na graduação e 12 mil na pós), 3,3 mil professores e 6,9 mil servidores técnico-administrativos. Possui cerca de 1.900 laboratórios e um Hospital de Clínicas.