Lageado recebe exposição de Osmar Santos e Wânia Rodrigues

O coordenador do Núcleo do Museu do Café da Fazenda Lageado, José Eduardo Candeias, definiu os detalhes da próxima exposição para visitação pública e trará novamente para Botucatu uma exposição dos trabalhos em tela de Osmar Santos.

Como é de conhecimento público, no auge da carreira como locutor e comentarista esportivo, Osmar Santos sofreu grave acidente automobilístico em 1994. A partir daí sua vida mudou completamente e a pintura entrou na vida de Osmar como atividade terapêutica. Ele também será sempre lembrado por conduzir os grandes comícios da campanha “Diretas Já”, na década de 1980.

A novidade é que Osmar Santos não estará expondo sozinho. Desta vez, a exposição vai ser dupla. Além dos trabalhos de Osmar, que já estiveram expostos no Museu em 2010, virão também telas da artista Wânia Rodrigues (www.waniarodrigues.com.br), que é autodidata e já expôs seus trabalhos em coletivas e mostras individuais por todo o Brasil e em outros países.

Suas telas fazem parte do acervo do Hospital Dante Pazzanese, em São Paulo e em coleções particulares de Romero Britto, Chico Caruso e Yoko Ono, viúva de John Lennon. A exposição será aberta no dia 18 de setembro, com a presença de Osmar Santos e de Wânia Rodrigues, permanecendo até o dia 18 de outubro. Osmar aceitou o convite feito por Candeias que durante a abertura da exposição irá doar uma tela para a “Associação Oncológica Santo Agostinho”, responsável pela construção do “Hospital de Prevenção do Câncer de Botucatu”.

O objetivo é que essa tela seja leiloada revertendo o valor apurado para essa importante obra que tem ? frente o escritor Francisco Marins, juntamente com um grupo de botucatuenses abnegados nessa causa.

Candeias lembra que o Museu do Café fechou o mês de agosto com 1.722 visitantes. Já no ano no número de visitantes atingiu a expressiva marca de 12.795. Somando o número do mês de agosto com o acumulado desde 2006 são exatos 85.475 visitantes. Agora o objetivo é superar a marca do ano de 2011 que foi igual a 18.358 visitantes.

{n}Visita ilustre{/n}

O Museu também recebeu a visita de Tatiane Cristina Rech da gerência de Meio Ambiente, Projetos Corporativos e Gestão de Programas Ambientais da AES Tiete, além da sócia-diretora da empresa Documento – Patrimônio Cultural, Erika M. Robrahn-Gonzáles e de outros integrantes da empresa.

O objetivo da reunião, solicitada pelo secretário de Descentralização e Participação Comunitária da Prefeitura Municipal de Botucatu, João Carlos Figueiroa, foi expor, nesse primeiro momento, a um grupo de pessoas da cidade e da estrutura da Prefeitura o trabalho desenvolvido pelas duas empresas no entorno dos grandes lagos das represas administradas pela AES Tiete, envolvendo a preservação do patrimônio arqueológico e antropológico.

A Documento é contratada da AES Tiete para o desenvolvimento desse trabalho em todos os reservatórios da empresa, no caso específico de Botucatu na área sobre a interferência da barragem de Barra Bonita. Nessa primeira reunião, que foi de apresentação, ficou decidido que será formado um grupo, capitaneado pela Prefeitura Municipal, que irá agendar novas reuniões com ampliação dos participantes como forma de dar início a esse importante trabalho no Município. “O motivo da escolha do Museu do Café para abrigar esse primeiro encontro, foi em razão dos trabalhos arqueológicos que vem sendo desenvolvidos desde 2007”, disse Candeias que acompanhou os presentes que conheceram o acervo do Museu do Café.

Fotos: Divulgação