Jornada leva pessoas a conhecer as belezas do Município

Em dois dias (sábado e domingo) um grupo de pessoas pode conhecer de perto os principais pontos turísticos da área urbana e rural de Botucatu, através do projeto Jornada Fotográfica que fez parte da Virada Cultural Paulista.

No sábado, o grupo de, aproximadamente, 60 pessoas, se concentrou em frente ao Museu de Arte Contemporânea (MAC), Itajay Martins, no Espaço Cultural e de lá saíram para conhecer e fotografar o que a cidade de Botucatu tem a oferecer.

Durante o trajeto o assessor cultural David José Devidé e o presidente do Centro Cultural de Botucatu, João Carlos Figueroa contaram a história de prédios e monumentos que fazem parte do patrimônio histórico da cidade, como o Seminário, a escola EECA, a antiga estação ferroviária, a Catedral Metropolitana, o antigo Fórum, entre muitos outros.

“Na verdade este é um projeto voltado para resgatar a história da cidade, mostrar sua origem e suas arquiteturas históricas. Não são raras as pessoas que passam ou freqüentam a um determinado local, como a Catedral, por exemplo, e desconhecem sua história. Então, a Jornada Fotográfica, além de fazer imagens dos prédios e monumentos, proporcionam que as pessoas conheçam um pouco da história”, comentou David Devidé.

Já no domingo o grupo foi conhecer os principais pontos turísticos da região como as cascatas da Marta e Véu de Noiva, a Serra de Botucatu, o Morro do Perú, o Gigante Adormecido, a Fazenda Lageado, além de ficar em contato com a natureza.

“Sempre costumo dizer que Botucatu é um município que foi privilegiado pela natureza, com muitas belezas naturais. Esse passeio é uma maneira de conscientizar para que esse patrimônio natural seja preservado. São poucas as cidades do Brasil que são dotadas de tanta riqueza e isso é nosso”, enfatizou Devidé. “Por isso é que temos que fotografar o que temos de mais belo e lutar pela sua preservação”, complementou.

{n}Fotos: David Devidé{/n}

{bimg:22777:alt=interna1:bimg}