Informações do Museu do Café – Fazenda Lageado

Zanettini Arqueologia desenvolve trabalho na região de Botucatu.

A empresa Zanettini Arqueologia, parceira do projeto desde 2009, irá desenvolver, durante o ano de 2016, diversos trabalhos na região. A empresa foi contratada pela Usina São Manuel para o “Programa de Resgate Arqueológico e Educação Patrimonial” nas áreas de expansão da Usina nos municípios de: Botucatu, São Manuel, Pratânia, Areiópolis e Igaraçu do Tiete. No mês de fevereiro parte da equipe esteve no Museu para programar contatos com as secretarias municipais de educação dessas cidades objetivando apresentar o projeto e programar trabalho de capacitação de professores a respeito do tema. Além disso, já está programado para o mês de agosto um curso de formação para os monitores do Museu, além de exposição de peças no Museu. Esse trabalho irá demandar todo o ano de 2016 e é fundamental para o conhecimento das ocupações ocorridas nesses municípios no passado. Ainda sobre arqueologia é importante lembrar que em breve o Museu estará anunciando um grande avanço na área de arqueologia, neste caso, na cidade de Botucatu, que com certeza irá se constituir em um marco sobre o conhecimento da ocupação de região no passado.

Museu no facebook

O Museu passa a contar com mais uma ferramenta para divulgar suas ações e se aproximar do público. Desde o inicio do mês de abril está no ar o facebook oficial identificado como “Museu do Café Lageado” (https://www.facebook.com/museudocafebotucatu/). A iniciativa partiu da equipe de monitores do Museu e a responsabilidade é do Coordenador do Núcleo. O facebook irá trazer, além de informações sobre a história da Fazenda Lageado e do próprio Museu, fotos dos grupos de escola visitantes e outros atrativos. Agora, além da página da Faculdade (www.fca.unesp.br) que pode ser acessado o espaço do Núcleo, o facebook vem se somar a essas novas ferramentas de interação. Nas poucas semanas que foi para o ar o espaço já foi muito “curtido” o que demonstra o interesse e o acerto da equipe do Museu.

Limpeza de canaletas

Recentemente empresa contratada efetuou a limpeza das canaletas de escoamento das águas pluviais do terreiro do café. O trabalho foi feito com muita dificuldade, pois, as canaletas são confeccionadas em tijolo e o volume de material retirado (terra, tijolos, copos, garrafas, raízes e outros) surpreendeu. O Coordenador do Núcleo acredita que a ultima vez que esse sistema passou por limpeza foi há mais de 20 anos. Agora o sistema voltou a funcionar retirando toda a água da chuva e conduzindo-a, pelos canais subterrâneos para o ribeirão lavapés.

Troca do madeiramento do telhado do paiol

Esta semana também começou o serviço de reparo do madeiramento do telhado do paiol localizado no núcleo do conjunto arquitetônico histórico da Fazenda Lageado. Esse prédio é utilizado pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia. A empresa contratada está retirando todas as telhas para recuperar a estrutura de madeira e, posteriormente, recolocar as telhas. Assim, esse espaço vem se juntar ao outro paiol existente na mesma área e que foi objeto do mesmo serviço no ano de 2015.

Paredão

Conforme informamos no nosso ultimo boletim, após a retirada da vegetação que ocupava o paredão do terreiro do café, a empresa contratada começou a recuperar o local. Diversos locais que foram danificados pelas raízes da vegetação estão sendo recuperados, objetivando evitar a queda de pedras e tijolos da construção original. Diversos visitantes elogiaram a ação desenvolvida, pois a retirada da vegetação permitiu ao visitante enxergar a beleza e originalidade do paredão, antes escondida pela vegetação. Esse é mais um importante passo no sentido de restaurar a originalidade do conjunto arquitetônico da Fazenda Lageado, que guarda uma história com mais de 100 anos.

Funcionamento do Museu

Como já havia ocorrido no feriado de Corpus Christi, o Museu do Café alterou seu horário de funcionamento no feriado do aniversário da cidade, dia 14 e também no feriado de Tiradentes, no próximo dia 21. Tal alteração foi em decorrência da decisão dos monitores do Museu que entenderam que o importante, como produto turístico, é ampliar as alternativas de visitação para o público que sempre procurou o Museu. Assim, nesses feriados o Museu irá funcionar das 8 às 17 horas, e não das 12 às 18h como normalmente vinha ocorrendo. Se os resultados forem positivos, a experiência poderá se repetir em outros feriados.              

Fotos: André Godinho