Grupo vai recorrer da liminar que desativa o Taenca

O grupo que pretende impedir que o prédio do antigo Cine Teatro Neli, seja entregue à Prefeitura Municipal vai entrar com um recurso para cassar a liminar do juiz Fábio Fernandes Lima, da 2ª Vara Cível da Comarca de Botucatu, que proferiu esta semana, sentença que garante à Prefeitura o direito de ter a posse do prédio, localizado na Praça XV de Novembro, região central da Cidade. Nas próximas horas, a decisão deverá ser publicada no Diário Oficial do Estado. 

Entre os argumentos da ação está a de que a entidade, por muitos anos ficou desativada, e decidiu encerrar suas atividades em assembleia realizada em 8 de fevereiro deste ano. Em sua decisão, o juiz cita que há “prova inequívoca de que a associação donatária (Taenca) já não mantinha mais suas atividades, caracterizada a dissolução de fato, que justifica a retomada do imóvel doado”.

Também cita “haver risco de deterioração do imóvel pela não realização de manutenção, imóvel classificado como patrimônio artístico do município de Botucatu”. Assim que a decisão for publicada, um oficial de justiça será encarregado de notificar o representante legal do antigo Taenca para a entrega voluntária do prédio. Caso isso não ocorra no prazo de 15 dias, o município estará autorizado a ocupar o imóvel. 

Em nota o grupo que administra o Taenca faz um apanhado geral sobre a situação em que se encontra o prédio. “Atualmente estamos enfrentando uma série de dificuldades, mas, apesar do momento difícil, julgamos fundamental o engajamento nesta luta em prol deste ideal,  criado a partir da luta e do esforço de muitas pessoas”, frisa Raquel de Aguiar, uma das entusiastas pela manutenção do Taenca na Cidade.

 

Nota oficial

 

O teatro Amador da escola Normal “Dr. Cardoso de Almeida” – Taenca, criado em 1951 por um grupo de pessoas interessadas em promover atividades culturais em nossa cidade, possui uma história extremamente rica.  A partir de um esforço conjunto e com a colaboração da sociedade botucatuense, criou-se uma entidade civil, que passou a desenvolver tais atividades e conseguiu, à custa de muita luta e dedicação, construir um teatro próprio, em terreno doado pela Prefeitura Municipal.

Pelo palco do Cine Teatro Nelli, nome dado ao teatro, em homenagem ao Sr. Joel Nelli, entusiasta da arte teatral e um dos líderes do grupo que se propôs a erigir o prédio, passaram grandes artistas brasileiros, tais como Lima Duarte, Walmor Chagas, Cláudio Correa e Castro, Fernanda Montenegro, Marília Pera, Umberto Magnani, Denise Del Vecchio, etc.

Mas, mais importante que a presença destes artistas, foi a intensa atividade cultural produzida por jovens aqui de nossa cidade, que começaram a encenar peças teatrais e a produzir os seus próprios textos, com resultados artísticos maravilhosos.

Festivais de teatro amador tornaram-se rotina em Botucatu e grupos amadores de várias cidades de nosso estado por aqui passaram, em uma ebulição cultural raramente vista. Vale a pena citar que vários jovens que aqui se apresentaram como amadores, posteriormente vieram a exercer um papel de destaque no cenário teatral nacional, entre eles,  Márcio Aurélio, Carlos Alberto Sofredini, Paulo Betti, Paulo Jordão, Alcides Nogueira, este último botucatuense e integrante do Taenca.

Infelizmente, a partir dos anos 80, a entidade entrou em um processo de declínio, com a realização de eleições muito mal divulgadas, o que propiciou o encastelamento de um núcleo de poder que se apoderou do espaço físico e das instalações do teatro, sem prestar contas à sociedade, bem como aos órgãos fiscais.

Felizmente esta situação foi revertida como resultado de uma ação judicial e as atividades originalmente previstas pelos estatutos da entidade puderam então ser retomadas. Nomeado interventor, o Sr. Valter Carrega, à frente de um grupo de pessoas, passou a desenvolver uma série de ações, tendo como finalidade principal, devolver a Botucatu, um pólo gerador de cultura, a exemplo do ocorrido no passado.

 

Para tanto, uma série de atividades têm sido desenvolvidas, entre as quais podem ser citadas:

 

– reuniões com pessoas e grupos envolvidas com o movimento cultural de Botucatu, com o objetivo de abrir as portas do espaço, de maneira que o mesmo possa ser utilizado de forma democrática por todos aqueles interessados em produzir cultura em nossa cidade;

– contatos com produtores culturais de renome no cenário nacional e internacional, com o objetivo de colher subsídios para a elaboração de projetos que possibilitem a captação de recursos junto à iniciativa privada, que, via renúncia fiscal, aportem recursos para o desenvolvimento das atividades programadas;

– procura de parcerias com várias entidades interessadas em contribuir com o desenvolvimento de um projeto cultural para Botucatu;

– contatos com engenheiros, arquitetos e profissionais afins, com o objetivo de estudar e implementar as mudanças necessárias na estrutura física das atuais instalações do prédio;

– gestões junto aos órgãos competentes para obtenção dos alvarás necessários que permitam o desenvolvimento das atividades programadas;

– oficinas de formação de gestores culturais; 

– estudo de ações culturais (teatro, dança, música, etc.) que possibilitem a inclusão de crianças, especialmente aquelas que estejam em situação de risco;

– estabelecimento de um calendário de atividades culturais com base nos contatos realizados com grupos e pessoas ligadas á cultura;

 

Estas são algumas das atividades que têm sido discutidas em reuniões realizadas semanalmente no prédio do Taenca, Cine Teatro Nelli, às quartas e quintas-feiras, das 18h15min às 20 horas.

Consideramos que Botucatu merece este espaço criado e mantido pela sociedade civil. Atualmente estamos enfrentando uma série de dificuldades, mas, apesar do momento difícil, julgamos fundamental o engajamento nesta luta em prol deste ideal,  criado a partir da luta e do esforço de muitas pessoas. 

Que possamos resgatar o sonho de inúmeros botucatuenses, de nascimento ou de coração, que ergueram, com um enorme esforço intelectual e físico, este Taenca que agora estamos tentando revitalizar e devolver a Botucatu.

Todos estão convidados a colaborar.  Participem das reuniões e no resgate deste patrimônio civil de nossa cidade!