FCA celebra 51 anos com solenidades e inaugurações

Uma grande programação, que incluiu inaugurações, homenagens, solenidades e confraternizações, marcou as comemorações dos 51 anos de atividades da Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp, câmpus de Botucatu.

As atividades tiveram início na sexta-feira, 20 de maio, com uma Sessão Solene com a presença dos professores: Maria José Mendes Giannini, pró-reitora da Pesquisa da Unesp; João Carlos Cury Saad e Carlos Frederico Wilcken; Edson Luiz Furtado, diretor presidente da Fundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais (Fepaf) e dos ex-diretores da FCA Julio Nakagawa, Ricardo Antonio de Arruda Veiga, Leonardo Theodoro Büll e Edivaldo Domingues Velini.

Durante a solenidade foram homenageados com um diploma de honra ao mérito os servidores docentes e técnico-administrativos que completaram 25, 30, 35 e 40 anos de trabalho na FCA. O professor Dirceu Maximino Fernandes fez a saudação em nome da Congregação. “As instituições são, sobretudo, pessoas. As grandes transformações e o crescimento da FCA ao longo da sua história refletem a ação dos que são hoje homenageados e de tantos outros que por aqui passaram. Agradecemos a todos pelo comprometimento e pela contribuição nessa caminhada”.

A pró-reitora de Pesquisa também fez uso da palavra para saudar a FCA. “Esta unidade tem um papel importantíssimo dentro da sua área que, por sua vez, é um setor fundamental para o Brasil e para o mundo. Os conhecimentos gerados aqui têm contribuído para o engrandecimento deste país. Parabéns FCA”.

O professor Saad começou seu discurso agradecendo a dedicação dos servidores docentes e técnico-administrativos da unidade. Em seguida, conclamou a comunidade a encarar com coragem as dificuldades presentes e futuras. “O maior desafio atual é não nos deixarmos esmorecer e reavivarmos o idealismo genuíno que nos motivou a sermos professores universitários e servidores técnico-administrativos. É preciso reavivar o espírito do trabalho coletivo na superação das dificuldades. Ao completarmos 51 anos e visitarmos nossa história é tempo do nos inspirarmos nesta trajetória e nos abastecermos de esperança e coragem. A universidade que queremos, tão ameaçada nos tempos atuais, necessita de cada um de nós. Lutemos juntos pela Unesp e pelas universidades públicas paulistas”.

Inaugurações

Após a solenidade, uma série de inaugurações teve início, começando pela pedra fundamental de um portal que celebra a parceria entre FCA e Fepaf, elaborado pelo arquiteta botucatuense Heloísa Losi. “A Fundação é uma parceira fundamental na realização de pesquisas, evento científicos e culturais e a manutenção do câmpus”, destacou o professor Saad. “Esse monumento irá celebrar essa colaboração”, complementou o professor Edson Furtado.

Na sequencia, foram inaugurados o Laboratório de Produção de Biomassa e o Laboratório Agroflorestal de Biomassa e Bioenergia, ambos associados ao Instituto de Pesquisa em Bioenergia (IPBEN – FCA/Unesp). O professor Saad falou sobre as novas estruturas. “Por meio dos nossos professores que desenvolvem pesquisas nessa área do conhecimento, estaremos integrados ao laboratório central do IPBEN, localizado no câmpus de Rio Claro e aos demais laboratórios associados”. O diretor da FCA também fez questão de agradecer a colaboração dos professores Edivaldo Velini, Maria José Giannini e Nelson Stradiotto, atual coordenador do IPBEN.

Os docentes citados também fizeram uso da palavra. “Esperamos que esses laboratórios abram possibilidades de novas linhas de pesquisa e ofereçam espaços para o trabalho de novos pesquisadores”, disse Velini. “Temos aqui em Botucatu a abordagem da bioenergia de um ponto de vista integral, ou seja, desde a biomassa, produção de biocombustíveis e bioprodutos, sustentabilidade. Vemos com muitos bons olhos essa interdisciplinaridade”, complementou Stradiotto.

A pró-reitora de Pesquisa enfatizou a importância da dinâmica coletiva de trabalho, implantada pelo IPBEN da Unesp. “Esse modelo de trabalho associado proporcionado pelo IPBEN tem muita projeção para o futuro, pois estaremos trabalhando conjuntamente em várias áreas de importância nas linhas mestras da Bioenergia. Esse modelo, baseado no  diálogo, sempre deve estar presente nas ações da universidade”.

Os professores Edvaldo Aparecido Amaral da Silva e Saulo Philipe Sebastião Guerra, responsáveis pelos novos laboratórios também fizeram uso da palavra. “Quero expressar a minha gratidão a todos os envolvidos neste projeto, por termos aqui essa estrutura que vai abrir espaço para que haja um espaço adequado para o trabalho das pessoas que estão aqui e das que ainda virão”, disse Amaral. “Essa estrutura facilitará nossa atividade. Agradeço os vários apoiadores que tivemos nessa jornada. A partir de agora, queremos envolver os alunos e desenvolver tecnologias em benefício da sociedade”, declarou Guerra.

As atividades do primeiro dia de comemorações terminaram com o depósito de uma Cápsula do Tempo, contendo mensagens de toda a comunidade universitária, que será aberta daqui há 25 anos e a inauguração do marco histórico alusivo aos 50 anos da FCA. Na ocasião, o professor Wilcken agradeceu a Comissão que atuou na programação das comemorações. “Todos os integrantes atuaram com muito empenho na preparação das atividades do aniversário da FCA. Além disso, tivemos todo o apoio da comunidade universitária”.

Encontro de ex-alunos

O tradicional encontro de ex-alunos, realizado no sábado, dia 21, foi, como sempre emocionante. Na ocasião, foram homenageadas as turmas de Agronomia formadas em 1971, 1976, 1981, 1986, 1991, 1996, 2001, 2006 e 2011 e as turmas de Engenharia Florestal formadas em 1996, 2001, 2006 e 2011.

Diante de um auditório lotado, a professora Maria Elena Delachiave, presidente da Associação de Ex-alunos de Agronomia manifestou sua satisfação. “Vocês não imaginam o que eu sinto ao ver tanta gente reunida. Há alguns anos, disse que eu queria ver esse auditório repleto de ex-alunos. Não imaginava que seria tão rápido. Quem sabe nas próximas edições tenhamos que fazer o encontro no Ginásio de Esportes”. Ela também parabenizou a Diretoria da FCA pelas comemorações. “Vocês estão registrando e fazendo história. O Lageado está ficando ainda mais bonito com os novos monumentos”.

A professora Magali Ribeiro da Silva fez a saudação aos ex-alunos do curso de Engenharia Florestal. “Fico muito feliz participar desse encontro de amigos. É com muita alegria que recebemos todos vocês”. Ela também pediu a atenção dos ex-alunos à situação das universidades públicas. “Neste ano que a Unesp completa 40 anos, que estejamos cientes da nossa função da defesa da nossa e das demais universidades públicas paulistas. Não quero com essa palavras, tirar a alegria do dia de hoje, mas peço que nos ajudem a defender a universidade pública, gratuita e de qualidade”.

Falando em nome dos ex-diretores, o professor emérito Julio Nakagawa fez um discurso bem humorado, lembrando amigos e histórias pitorescas da Faculdade e reafirmou seu prazer em participar do Encontro de Ex-alunos. “Para mim, esse é o melhor dos encontros”.

O professor Saad também deixou sua mensagem aos ex-alunos. “Esse evento tão tradicional é marcado pela emoção do retorno, pela alegria do encontro e pela descontração. Estou aqui para compartilhar com todos o significado desse momento tão especial, trazendo o abraço da comunidade atual da FCA a cada um de vocês e seus familiares. Para mim e para o professor Wilcken é duplamente emocionante, afinal, antes de sermos dirigentes dessa casa, somos ex-alunos acompanhados de nossa turma, a inesquecível XIX que comemora 30 anos de formatura”.

A inauguração do monumento em homenagem à criação do curso de graduação em Agronomia aconteceu na sequencia da solenidade, no auditório Paulo Rodolfo Leopoldo, em razão da chuva. O diretor ressaltou a importância de celebrar e marcar o fato. “A FCA é uma construção coletiva. O que somos é fruto da dedicação de todos nós, daqueles que aqui trabalham e de nossos egressos que levam nosso nome pelo Brasil e pelo exterior. Estamos aqui por uma convergência de muitos fatores e muitos agentes, mas bastaria que um dos fatores não estivesse presente para que isso não se concretizasse. Nossa história foi construída por abnegados e heroicos docentes, servidores técnico-administrativos e discentes. No entanto, os alunos da primeira turma foram decisivos. Representaram a semente que caiu em solo fértil e gerou frutos em abundância. Esse auditório repleto é prova disso”.