Estudantes de Botucatu vão a evento em Santa Maria

Oito integrantes do Programa de Educação Tutorial (PET) da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da Unesp, câmpus de Botucatu, participaram do XIX Encontro Nacional dos Grupos, realizado no Centro de Eventos da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), no Rio Grande do Sul, de 28 de julho a 02 de agosto.

O evento reuniu cerca de 2 mil participantes de grupos PET de universidades de todas as regiões do Brasil. Para o tutor do PET/FMVZ, professor Paulo Francisco Domingues, a participação dos estudantes em eventos dessa natureza é sempre muito positiva. “A bagagem que eles conseguem adquirir através da experiência, da convivência e da integração entre eles e com alunos de outras universidades e de outros cursos sempre traz um ganho global na formação de cada um”, disse.

Aluno do 3º ano de Medicina Veterinária, o petiano João Callefe destacou a integração entre os membros do grupo. “Por sermos de diferentes turmas e cursos, eventualmente, não temos uma convivência fora das ações do PET. Essa viagem foi uma oportunidade de nos conhecermos melhor, o que pode fazer com que as atividades acadêmicas fiquem mais fáceis por conta da amizade que fizemos”.

Caleffe também ressaltou a excelente organização do evento e a programação diversificada. “Eles promoveram oficinas de vários assuntos, inclusive alguns específicos para apresentar a cultura da região como danças típicas, chimarrão e churrasco”, coloca. Os participantes do Enapt se reuniram em Grupos de Discussão e Trabalho (GDT’s) para reflexões, propostas e encaminhamentos de diversos assuntos referentes ao Programa de Educação Tutorial.

Os encontros aconteceram em diversos locais da UFSM e se dividiram em nove temas: Filosofia da Educação Tutorial; Avaliação e Comitês Locais de Acompanhamento e Avaliação (CLAA); O PET e Inovação: novas práticas pedagógicas na graduação; Educação tutorial e diversidade cultural na universidade; Perfil e Processo: Selecionando professores e alunos para o programa; Organização política e gestão de eventos; Ensino, pesquisa e extensão e a articulação com a responsabilidade social; Financiamento dos grupos e do programa; Inserção do Programa na vida acadêmica.

Entre as pautas em cada temática dos GDT's estavam, por exemplo, a concepção de diversidade, o perfil do tutor e do aluno petiano, a avaliação do CLAA, o custeio, as bolsas, a formação petiana, a reestruturação do programa, a filosofia da educação tutorial, entre outras. A partir da discussão de cada grupo foram encaminhadas propostas debatidas na assembleia realizada no último dia do evento. Os representantes do PET/FMVZ participaram de vários dos GDTs.


O PET/ FMVZ tem um planejamento a ser cumprido até o final de 2014. No entanto, conhecer projetos desenvolvidos por grupos de cursos e localidades diferentes, pode gerar novos projetos. “É uma oportunidade de ter contato com ideias de PETs de outras universidades, ver como os outros grupos trabalham e incorporar essas experiências.”, comentou Ananda Finco, do 3 º ano de Medicina Veterinária. “Certamente, ao fazermos o planejamento para 2015 vamos avaliar as ideias que surgirem, aproveitar essas informações para inserir coisas novas para o ano que vem. As possibilidades são muito dinâmicas”, complementa o professor Domingues.

No contato com colegas de outras universidades também surgem oportunidades de partilhar as boas experiências locais. “Conversei com uma menina do curso de música que tinha dúvidas sobre a aplicação de seus projetos”, conta Mayara Chagas Ferreira, do 3º ano de medicina Veterinária. “Dei o exemplo de nosso projeto “Universitário por um dia” em que trazemos crianças e adolescentes para conhecer a Faculdade e assistir a uma aula como se fossem universitários, falamos sobre a Unesp e nossos cursos e incentivamos que eles continuem a estudar. Ela gostou e achou que pode fazer algo semelhante em seu curso”, emenda.

A troca de ideias e experiências também aconteceu na grande mostra de trabalhos promovida pelo Enapet. Nesta edição, foram expostos 453 banners sobre temáticas diversas. Os trabalhos foram agrupados por áreas do conhecimento e analisados por 50 avaliadores. O PET/FMVZ apresentou um trabalho sobre contenção de animais peçonhentos, desenvolvido em parceria com o Centro de Estudos de Venenos e Animais Peçonhentos da Unesp, o Cevap.

“Falamos sobre o curso, o público alvo e os resultados”, conta João Callefe, acrescentando que “o avaliador achou relevante e interessante o trabalho e sugeriu que poderíamos fazer esse curso voltado para a comunidade rural da região de Botucatu, mais suscetível a ataques de animais peçonhentos”.

Os integrantes do PET/FMVZ viajaram para participar do Enapet utilizando recursos da verba de custeio do Programa, destinada pelo Ministério da Educação. Em 2015, o ENAPET acontecerá em Belém, capital do Pará. Já em 2016, Rio Branco, capital do Acre, reunirá os grupos PET de todo o país.