Escola de Vitoriana promove ação contra o cerol

Alunos do Ensino Fundamental da Escola Raymundo Cintra, no Distrito de Vitoriana, participaram de uma campanha contra o uso do cerol nas imediações da unidade escolar. Esta ação é conjunta às tarefas da Guarda Civil Municipal (GCM), que por meio da Patrulha da Paz já realiza um trabalho de conscientização com os alunos da Rede Municipal de Ensino.

Segundo o professor Marco Antônio Souza da Silva, responsável pela iniciativa, o diferencial desta campanha é trazer este tema para além do ambiente escolar, integrando escola e comunidade. “Ao perguntar aos alunos durante as aulas de Educação Física, quais atividades mais realizaram nas férias escolares, grande parte respondeu que foi soltar pipa, e quando questionados sobre o uso do cerol, muitos admitiram que usavam e que também conheciam outras pessoas que utilizavam esse material”, acrescenta.

Para a gestora da Escola Raymundo Cintra, Helene Cristina Sanchez, campanhas como esta pretendem orientar crianças e adolescentes sobre o risco do uso de material cortante, além do perigo ao empinar pipa próximo à rede elétrica ou de atravessar as ruas correndo por conta da brincadeira. “Enfatizamos as iniciativas que agregam conhecimento e valores aos alunos. Além de sua formação escolar, nossa preocupação é formar cidadãos responsáveis”, ressalta. 

Além do cerol, mistura feita com cola e vidro moído, há também a preocupação com o aumento crescente do uso da linha “chilena”, que além de ser cortante, chega a ser quatro vezes mais resistente que as linhas convencionais. Apesar disso, os números já mostram uma melhora. Segundo dados da Guarda Civil Municipal, em 2013, foram contabilizadas 234 denúncias de uso de cerol. No ano passado foram 111 e neste ano cerca de 60 ocorrências. 

O uso de material cortante é expressamente proibido em Botucatu através de lei municipal 3.745/1998. A Guarda Municipal atenta que a fiscalização e punição se estendem tanto a pessoa que utiliza quanto a quem comercializa o cerol. A multa pode chegar a R$ 1 mil. As denúncias sobre utilização de pipas com cerol devem ser feitas pelo telefone 199 (Guarda Municipal).