Escola de mulheres levou bom público ao Municipal

Um bom público compareceu na noite deste sábado (26) ao Teatro Municipal “Camilo Fernandes Dinucci” para a apresentação do espetáculo “Escola de Mulheres” comédia escrita pelo dramaturgo francês Molière, em 1662. No elenco nomes conhecidos da televisão brasileira como: Oscar Magrini, Júlia Costa (que substituiu Thaís Pacholek, que não pode estar presente por motivos particulares), Julio Rocha, Gerardo Franco, Cris Bonna e Flávio Faustinoni.

A montagem, dirigida por Roberto Lage, chegou a Botucatu através do produtor Wagner Ferreira, da Ferreira Eventos Culturais. Com classificação livre os atores, durante todo o espetáculo interagiram com a platéia.

A peça, originalmente, intitulada “ L’École des Femmes”, além mesmo tempo em que promove muita diversão ao público, procura estimular reflexões sobre individualismo, poder, moral, amizade, confiança e relacionamento amoroso, entre outros sentimentos humanos. Para o diretor, o texto, escrito há quase 350 anos, faz parte do mundo contemporâneo.

E quem quer “se dar bem” na história a qualquer custo, sem se importar com ninguém é Arnolfo. O personagem tem pouco mais de 40 anos e o seu maior medo é ser enganado por uma suposta esposa. Por isso, ao longo dos anos, preferiu não se casar, para não sofrer a dor insuportável da traição, ele “adotou” a menina Inês, que na época tinha quatro anos.

Ele a internou em um convento, para que a garota aprendesse a ler e a escrever, porém que mantivesse a ingenuidade infantil e ficasse, assim, completamente desprovida das atitudes e malícias da sociedade. Mas, seus planos correm riscos de serem abortados, pois Inês, já com 18 anos, justamente em função de sua bondade e ingenuidade se apaixona pelo jovem Horácio filho de seu amigo Oronte. A história conta também com os hilários criados Alain e Georgette, os quais completam essa mimese teatral.

Fotos: Valéria Cuter