Circo e futebol serão os temas das escolas no carnaval

Com setes quesitos a serem julgados (Comissão de Frente, Baianas, Bateria, Alegoria e Adereços, Fantasia, Samba Enredo e Mestre Sala e Porta Bandeira), cada qual por dois jurados que serão escolhidos pela Subsecretaria de Turismo, as escolas de samba Gente Unida da Vila Maria e Estopim de Fiel, estão na fase final dos preparativos para o desfile que acontece no próximo domingo (19), na Rua Amando de Barros, após a apresentação dos quatro blocos carnavalescos, que se iniciam ? s 19h30.

A Gente Unida de Vila Maria, campeã do ano passado, traz como tema central o circo. Segundo o presidente Jairinho Andrade, a escola entra na Rua Amando de Barros (passarela do samba) com cerca de 300 componentes divididos em oito alas e três carros alegóricos. “Acredito que iremos apresentar um grande carnaval em 2012. A comunidade da Vila Maria está empenhada em ser bem representada. Com os recursos financeiros escassos, nosso carnavalescos tiveram que trabalhar usando muita criatividade. Mas, estamos prontos para mais esse desafio”, frisa Jairinho.

O samba enredo criado pelo jornalista Quico Cuter, busca mostrar as várias fases do circo, trazendo malabaristas, ciganos, trapezistas, mágicos, equilibristas, entre outros, ? passarela do samba. “A intenção nossa é representar bem a arte circense e homenagear seus artistas na avenida, além de fazer uma alusão aos 35 anos da participação da Vila Maria no carnaval de Botucatu”, coloca o presidente.

Já a Escola Estopim da Fiel Corintiana, vai fazer uma homenagem ao ex-jogador Zé Maria, o Super Zé, um dos maiores atletas do clube e que é sinônimo de raça. “Nossa intenção é desfilar com 300 componentes, divididos em cinco alas e dois carros alegóricos. Esperamos que os corintianos da cidade, assim como torcedores de outras agremiações, venham prestigiar o Zé Maria, que é nosso tema central”, comentou o presidente André Carmoni.

Composto por Serafim Carlos de Arruda, o samba enredo da Estopim conta a trajetória do botucatuense José Maria Rodrigues Alves, ou Zé Maria, que iniciou sua carreira no futebol jogando pelo Lageado, chegou ao Corinthians e Seleção Brasileira. “Ele foi o jogador que mais se identificou com a torcida por sua raça e vontade de vencer, e nós optamos em homenageá-lo no carnaval”, ressaltou Carmoni.

{centro}{n}{tam:25px}Samba enredo da Gente Unida de Vila Maria{/tam}

No picadeiro da Avenida vou fazer meu carnaval

Letra e música: Quico Cuter{/n}

Deixa passar a alegria
Nesse lindo visual
No picadeiro dessa vida
Trago o circo pra avenida
Pra fazer meu carnaval

Gente, eu sou da Vila Maria
Vem comigo desfilar
Nessa escola tem artista
Cigano e trapezista
O show não pode parar

Vivo o meu dia a dia
Na corda bamba da ilusão
Sou um mágico passista
Saltimbanco e equilibrista
Com o Brasil no coração

E nosso samba quer mostrar
Em forma de evolução
Que animal da natureza
Não pode virar a presa
E ser do circo a atração

São 35 anos
De muitas glórias e dedicação
Levando o samba ? avenida
Essa nossa Gente Unida
É exemplo de paixão

Hoje tem espetáculo? Tem sim senhor!
Hoje tem alegria e muita emoção
Sou o eterno palhaço…
Que “roubou” seu coração

{n}{tam:25px}Samba enredo da Estopim da Fiel{/tam}

Super Zé do Lageado para o mundo

Letra e música: Serafim Carlos de Arruda{/n}

A Estopim vem pra festa
Vem, vem…vem, vem…
Explodindo em alegria
Saudar o Deus da raça
Super Zé – ô… Zé Maria

No Lageado
Antes da Universidade
Quando o café florescia
Na casa do Tonga e da Maura
Nasceu o Super Zé – ou Zé Maria
Em solo fértil cresceu, superando as dificuldades
Torneiro mecânico, colheu café
Mas o destino sorriu ao vê-lo com a bola nos pés

Lageado – Ferroviária – Canindé – Timão e Seleção
No México em 70, Bravo! Tri-campeão
Então o sonho virou realidade
Jogando no Corinthians – timão ê ôoo…
Desde a infância o clube do coração
Logo se tornou a imagem de garra de uma nação

Respeito e lealdade lhe fizeram treinador
Eleito pelo Doutor & Cia (que bacana…)
Na democracia corintiana
Deixou a pelota
Ser tornou vereador, decepção
Hoje incentiva o esporte dentro da Fundação (CASA)
É nosso mosqueteiro
Nosso Zé! Guerreiro de fé