CIEEJA irá ocupar instalações no prédio da APAE

Alessandra Lucchesi de Oliveira, anunciou que a proposta busca fortalecer as ações, ampliar a oferta de vagas, qualificar o atendimento e assegurar que alunos continuem sendo assistidos 

 

Duas importantes instituições que se especializaram no atendimento a pessoas com deficiência – o Centro Integrado de Educação Especial de Jovens e Adultos (CIEEJA) e a APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) a partir de 2016 ambas deverão atuar de forma integrada e dividindo o mesmo espaço. Essa possibilidade, aventada já há algum tempo, está bem próxima de ser concretizada.

Os detalhes dessa mudança foram discutidos em reunião com pais de alunos do CIEEJA e a secretária municipal de Educação, Alessandra Lucchesi de Oliveira, anunciou que a proposta busca fortalecer as ações, ampliar a oferta de vagas, qualificar o atendimento e assegurar que alunos com mais de 30 anos, que por força estatutária são obrigados a deixar o CIEEJA, continuem sendo assistidos. 

Por meio de convênio, a Prefeitura deverá transferir recursos para que a APAE execute a reforma de um bloco que se encontra desativado, colocando o espaço em condições para receber os 53 alunos do CIEEJA. O início das aulas está previsto para 15 de fevereiro. Todos os recursos materiais, a direção e a equipe de professores e demais funcionários serão mantidos e transferidos para o novo local. 

Além de funcionar em um prédio em condições mais adequadas para o trabalho de estimulação sensorial, os alunos passarão a contar com novos benefícios, que incluem apoio e atendimento clínico prestado por fonoaudiólogos, fisioterapeutas, neurologistas, psicólogos, terapeuta ocupacional, assistentes sociais e dentistas.

Também serão integrados a projetos de artes que incluem trabalhos com dança, música e teatro, além de hidroterapia.  “Nossa intenção é acolher a todos, investir nessa integração e até mesmo propiciar a ampliação do número de vagas, sempre com foco na melhoria do nosso atendimento”, cita Alessandra. 

O prefeito João Cury Neto acompanhou a reunião e reforçou a importância de dar total transparência ao processo, permitindo que os pais esclareçam todas as dúvidas quanto ao futuro de seus filhos.  Destacou que toda mudança gera desconforto e preocupação, sendo isso perfeitamente compreensível.

“Por isso estamos tendo muito cuidado e todo o carinho ao fazer qualquer tipo de movimento. Jamais faremos qualquer alteração que venha a causar prejuízo aos alunos. Não haverá perda de qualidade de atendimento e novas oportunidades vão se abrir para eles. Uma gama de serviços passará a estar disponível e que até então a cidade não oferecia, inclusive de preparação para o mercado de trabalho. Tenho certeza que essa realidade está mudando para melhor”, declarou.  

Segundo Cury, o fato da APAE estar disposta a integrar suas ações com o CIEEJA demonstra que a instituição vive um novo momento, sintonizado com as necessidades de um público que exige cuidados especializados e merece toda atenção.  Enfatiza o chefe do Executivo que  esse também é um trabalho de resgate de uma dívida com a cidade, lembrando no tempo em que a APAE mais dividia do que acolhia.

"Até em razão disso surgiu o CIEEJA. Mas a diretorias mudaram e as pessoas foram entendendo que as coisas não podiam continuar daquele jeito. Constatamos que ao longo dos anos houve essa mudança de mentalidade e de comportamento. E o poder público ajudou investindo na melhoria das instalações, mostrando um novo caminho para trilharmos juntos. Estou convencido que vai ser melhor porque ouvi pessoas da área que falaram que faz muito mais sentido ser assim. Não é uma aposta no escuro. A presença da equipe, os recursos que serão repassados são formas de garantir qualidade no atendimento a ser prestado, sem gerar prejuízo para ninguém. Se a gente estiver junto nessa caminhada será mais tranquila e mais fácil para todos”, completou Cury.