Cerol é tema de palestra a alunos do Patrulha da Paz

 

A Guarda Civil Municipal tem dado continuidade aos trabalhos com os alunos do programa Patrulha da Paz. No último mês de junho, como atividades de conclusão do primeiro semestre, foi realizado um ciclo de palestras. Desta vez, por conta do atual período de férias escolares, o tema abordado foi o perigo de linhas com material cortante, popularmente conhecido como cerol. 

O ciclo faz parte da grade de matérias oferecidas aos alunos do 5º ano das escolas da rede pública de ensino, com faixa etária de 10 a 12 anos. As palestras foram ministradas pelos atendentes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), que argumentaram os motivos de não utilizar a linha com cortante e o como proceder em caso de acidentes com o artefato. 

Além disso, os palestrantes informaram quando é necessário acionar o serviço de emergência. Também transmitiram conhecimentos de como realizar pequenos curativos.

Vale lembrar que o material cortante é expressamente proibido em Botucatu através de lei municipal 3.745/1998. A Guarda Municipal atenta que a fiscalização e punição se estendem tanto a pessoa que utiliza quanto a quem comercializa o cerol. A multa pode chegar a R$ 1 mil. 

Dependendo das consequências, o usuário de cerol pode responder na Justiça por lesão corporal ou homicídio, ou seja, o ato é passível de prisão. Quem for menor de idade terá seus pais ou responsáveis respondendo pela infração. Portanto, a criança ou adolescente deve ser constantemente vigiado e orientado dentro de sua própria casa em torno do assunto.

“A Guarda Municipal trabalha com a conscientização do perigo dessa linha e reforça o patrulhamento nos meses de férias. Mas é preciso também que a população faça a sua parte, conscientizando as crianças e denunciando a prática ilegal”, afirma o subcomandante da corporação, Weber Pimentel.

Apesar do aumento do número de casos nos meses de férias, a GCM aponta uma considerável queda de casos registrados nos últimos anos. Em 2013, foram 234. Em 2014, apenas 111. Neste ano, até o momento, são 55 casos constatados.

Denúncias do uso do cerol em linhas de pipa podem ser feitas diretamente à Guarda Municipal pelo telefone 199. Além das palestras, os agentes da Patrulha Escolar da GCM aplicaram nas últimas semanas de junho a primeira avaliação do ano, que cobre todos os temas estudados durante o primeiro semestre do ano letivo de 2015.

 

Histórico da Patrulha da Paz

 

O projeto teve início em 2010, quando a GCM apadrinhou um projeto embrião já existente na Emef Professor José Antonio Sartori (Jd. Eldorado). Naquele ano, a Patrulha da Paz contou com a participação de 150 alunos, da escola Sartori e Raymundo Cintra (Vitoriana). Já no ano de 2011 foram firmadas as matérias que são ministradas até hoje. 

Com o passar dos anos, os responsáveis pelo projeto, também moldaram suas aulas e matérias, além do material didático. Em conjunto com parceiros, expandiram este modelo, que hoje abrange 850 estudantes de 12 escolas de Botucatu