Centro Cultural de Botucatu elege o novo presidente

O novo presidente Moacir Bernardo vai administrar várias  coleções de jornais e revistas, um acervo bibliotecário com mais de 30.000 volumes e um vasto banco de dados históricos e culturais destinado a receber, conservar e possibilitar o acesso da população para pesquisa

 

“Gostaria de agradecer o apoio que tive durante todo esse tempo em que estive na presidência do Centro Cultural de Botucatu (CCB). Estou deixando a presidência e devo entregar a entidade à nova diretoria eleita neste mês de dezembro pelos votos dos sócios. Assim, peço todo o apoio a ela também, para que o CCB continue desempenhando o seu papel de incentivador da cultura de Botucatu, nos seus mais variados campos”. Foi desta maneira que o historiador João Carlos Figueroa anunciou sua saída da entidade após dois mandatos consecutivos.

Foram eleitos para a diretoria do CCB, para cumprir um mandato de dois anos (2016 e 2017): Moacir Bernardo (presidente); Izaias Barreto (vice-presidente); Beatriz Galvão (1ª secretária);  Jeyson Zimerer (2º secretário); Luiz Alberto Bueno (1º tesoureiro); Júlio Cesar de Carvalho (2º tesoureiro); e José Sérgio Marques (diretor de Patrimônio. Formam o Conselho Fiscal:  Maria Anna Moscogliato, Vilma Fermino da Silva, Zélia de Maria Coelho José, Ademir Zapone  e Milton Alves Portelinha.

 

Um pouco do CCB

No dia 06 de agosto de 1942 o Centro Cultural de Botucatu foi fundado no pavimento superior do antigo prédio do Teatro Espéria, na parte superior da Praça Comendador Emílio Peduti – Bosque.  Em 21 de setembro 1951 os arquivos do Centro Cultural de Botucatu como a galeria de retratos, mobiliário, iconográfico, bibliotecário sofreram com um incêndio no prédio onde estava instalado.

Os ilustres membros da igreja presbiteriana se comoveram com o ocorrido e cederam um salão desativado da igreja que ficava na Rua Cesário Alvim (hoje Rua João Passos) para que o Centro Cultural se estabelecesse novamente. Em 1967, com o apoio da imprensa, da população, do governo municipal na gestão do prefeito Emílio Pedutti e dos membros do Centro Cultural de Botucatu, construíram sua própria sede.

O prédio foi construído com recursos próprios do Centro Cultural e também com apoio do Ministério da Educação e de deputados como os ilustres senhores Ulisses Guimarães, Israel Dias Novaes e Cunha Bueno. Em 1970 foi criado o banco de dados históricos e culturais destinado a receber, conservar e possibilitar o acesso da população para pesquisar nesses documentos relativos á história da cidade de Botucatu, da região, do Brasil e de todo o mundo.

Atualmente o Centro Cultural de Botucatu em seu Departamento histórico possui a coleção do jornal Folha de Botucatu, Correio de Botucatu recentemente doado pela família Paganini, a coleção de fotografias do fotógrafo e artista Luís Simonetti. Além do Departamento Histórico também possui o Departamento Filatélico e Numismático, o departamento de Artes Cênicas e Literárias e o acervo bibliotecário com mais de 30.000 volumes contando com biblioteca internacional de obras célebres, coleções completas das revistas Manchete e Braziliano.