Cantor botucatuense resgata sambas imortais da MPB

Noel Rosa, Nelson Cavaquinho, Cartola, Moreira da Silva, Germano Mathias, Ismael Silva, Bezerra da Silva, Ary Barroso, Adoniran Barbosa, Herivelton Martins, Geraldo Pereira, Dorival Caymmi, João Gilberto, entre muitos outros, fizeram a história o samba no Brasil.

E são as obras musicais desses lendários compositores que o músico botucatuense Kinho Rodrigues, um dos mais conhecidos cantores da noite, resolveu pesquisar e mostrar em suas apresentações “Sambas das Antigas” um pouco da rica trajetória da música. A pesquisa vai de 1930 a 1970.

“No início fui buscar alguns sambas daqueles compositores do passado para “rechear” minhas apresentações e enriquecer o repertório, mas fiquei fascinado com a riqueza das canções. Aprofundei-me e passei a resgatar o passado. Hoje tenho selecionado, cerca de 130 sambas, que dariam para até cinco horas de apresentação”, frisa Kinho.

Ele entende que esses compositores deveriam ter um espaço para que os jovens de hoje conheçam a riqueza da música brasileira. “Nada contra quem gosta de outros gêneros musicais ou dos cantores atuais, mas a história da nossa música não pode ser esquecida. O samba é a cara do Brasil, um tesouro que muita gente desconhece”, prega o cantor da noite.

“Então, procuro em minhas apresentações mostrar um pouco disso tudo. Nós que cantamos na noite temos que ter uma diversidade de ritmos, para atender a todos os gostos, mas não abro mão de cantar alguns desses sambas imortais. É uma maneira que tenho de mostrar minha admiração ao trabalho desses grandes compositores”, finaliza Kinho.

Embora seja um músico de reconhecido talento, Kinho não vive da música. Ele trabalha na área de informática na criação de logomarcas, montagem de jornais e revistas, catálogos, folders, outdoors, banners, entre outros. “Faço música por hobby, por amor e cada qual procura sua válvula de escape para extravasar. A minha é cantar”.

Foto: Valéria Cuter