Café das Cinco apresenta Mauro Moreira e oferece Oficina gratuita de Composição, no domingo (25)

 

Neste domingo, dia 25 de setembro, acontece o 12° Café das Cinco – Encontro de Compositores de Botucatu e do mundo, a partir das 17h, no Mirante das Artes. O evento promove um espaço de convivência entre público e compositores locais interessados em apresentar suas canções e poesias, acompanhadas de café, tortas e bolos. As inscrições para os artistas participarem acontecem durante o próprio evento.

thiago-righi-foto-divulgac%cc%a7a%cc%83oO show de encerramento do 12° Café das Cinco será do compositor natural de Minas Gerais, mas residente em Botucatu, Mauro Moreira.

“Sempre estive ligado a música desde a primeira infância. Cantava em família e com meu pai. Este da foto que mandei. Logo aos 12 anos ganhei meu primeiro violão e toquei direto, sem sofrer pra aprender. Então, aos 13 comecei a compor. Claro que coisas bem simples, mas que para mim eram grandes conquistas”, se apresenta Mauro Moreira (52), mineiro vivido em Botucatu.

Mauro afirma compor por prazer e ser influenciado por nomes da MPB, como Tom Jobim, João Bosco, Caetano, Vinicius de Moraes e Baden Powel. “Os temas pra mim são baseados no ser humano do bem, positivo, que ama e cuida do outro, da natureza e dos animais. Que respeita e confia na força maior do bem que vence sempre o mal”, Moreira comenta a respeito de sua predileção criativa. “Só tenho que agradecer a coragem e capacidade do trabalho dos artistas que fazem o café acontecer. É necessário mais espaços. É assim que se faz e se aprende, com as artes,repetindo,trabalhando,fazendo das tripas coração. Nada vem de graça, nem o pão nem a cachaça”.

Oficina de Composição – Gratuita

cafe_divulg_mauroMúsico desde os sete anos de idade, o compositor botucatuense Thiago Righi (35) oferecerá a sua “Oficina de Composição” aos artistas interessados em participar do Café das Cinco, no próprio domingo, das 14h às 17h. Em entrevista ao Café, Thiago fala mais sobre sua trajetória profissional pela música e a proposta do workshop.

Qual o nome da oficina e o que será abordado nela?

Thiago: Intitula-se “Oficina de Composição” e está dividida em três partes: 1) o cotidiano: serão abordadas questões relativas ao métier como um todo e em suas especificidades;2) a formação e a informação: tratar-se-á da importância central desses dois aspectos, não só para o exercício da composição, mas também para o desenvolvimento pleno dos potenciais artísticos do compositor; 3) processos criativos: por meio de 3 exercícios práticos, pretende-se exemplificar os conceitos e assuntos tratados no item 2; como resultado dos exercícios, almeja-se a composição de 3 pequenas partes de peças.

Ela é direcionada para músicos, compositores somente?

Thiago: Apesar de seu foco ser a composição, a oficina terá como leitmotiva ideia de “processos criativos”. Assim sendo, está aberta a artistas em geral, uma vez que processos de criação inerentes a uma dada expressão artística podem ser fomentadores para uma outra. Ademais, este evento tem por objetivo, além da troca de experiências em um diálogo franco entre pares, sublinhar a importância do trabalho e da formação contínuos.

É preciso ter-se em conta, no entanto, que a parte 3 da oficina exigirá alguns conhecimentos teóricos e práticos em música.

Desde quando e como se tornou músico e como é seu trabalho com música hoje? é sua dedicação exclusiva?

Thiago: Trago a música comigo desde muito cedo. Comecei a fazer aulas de violão aos sete anos de idade, por incentivo de minha mãe, que é aficionada por música e também muito musical. Depois teve a presença de meu avô paterno, seu Zé Orêde, que tocava de bombardino a violão, era um leitor compulsivo e excelente contador de “causos”! Dele trago como herança o gosto pela leitura e a consciência da importância, em tudo que se faça,  do trabalho diário e constante, meticuloso e apaixonado. Mas foi durante minha adolescência, em Botucatu, que decidi ser músico. Considero que me tornei músico a partir do dia em que comecei a fazer shows em Botucatu e região, a compor músicas e a gravar demo-tapes com a banda Clawn, nos idos de 1998! Foi minha primeira experiência mais séria. Meu trabalho atual com a música envolve e congrega algumas diferentes áreas, tais como a pedagogia, a pesquisa histórica, a composição e a performance. Entre carreira solo e grupos dos quais fiz parte, tenho meu trabalho registrado em diversos CDs. Além de importantes festivais e palcos no Brasil, tive a oportunidade de tocar na Itália, na Grécia, na França e na Suíça, trabalho com trilha sonora para espetáculos de dança e continuo atuando como sideman acompanhando artistas e em grupos de música instrumental.  A maior parte do que fiz e tenho feito pode ser conferida em meu site (www.thiagorighi.com) ou pelo facebook (www.facebook.com/thiagorighimusic). Quanto à dedicação exclusiva: nos dias de hoje, mesmo profissionalmente, acredito ser impossível alguém ser exclusivamente algo! Minha vida é permeada e dirigida por essa convicção! Dessa forma, sou também, além de músico e compositor, historiador.

Por que você considera importante ministrar esta oficina no Encontro de Compositores do Café das Cinco? Como você vê a música e a arte autoral, hoje, em Botucatu?

Thiago: Estive fora de Botucatu por mais de quinze anos e voltei a residir na cidade há seis meses. Do que vi e vivi, neste curto período tempo em que estou novamente morando aqui, posso afirmar que a cada novo dia a cidade impressiona-me positivamente, nos mais variados aspectos!Nesse sentido, o movimento musical e artístico como um todo e o do arte autoral em específico, são os mais flagrantes! A existência do Café das Cinco, por si só, é de uma importância imensurável, essencial para a cidade! Espero que a oficina possa contribuir de maneira a fomentar ainda mais este movimento, esta cena de compositores, músicos, artistas, que hoje é tão rica na cidade. Que a importância da oficina nisso resida, é o que almejo. E, caso alcance minimamente este objetivo, estarei feliz, satisfeito em contribuir e fazer parte desta história!

Café das Cinco é realizado de forma colaborativa e independente por um conjunto de artistas e comunicadores botucatuenses, com apoio do espaço Mirante das Artes, site Notícias.Botucatu e amigos.

Café das Cinco – Encontro de Compositores de Botucatu e do mundo

Domingo, dia 25 de setembro

14h às 17h – Oficina de Composição, com Thiago Righi

A partir das 17h – Encontro com encerramento do cantor Mauro Moreira

Local: Mirante das Artes – Rua Major Matheus, n° 253

Entrada Gratuita

Assessoria de imprensa