Botucatuense palestrará no festival de mulheres negras

A Assessora em Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Prefeitura de Botucatu, Conceição Domingos Vercesi (foto), foi convidada a ministrar uma palestra no Festival da Mulher Afro Latino Americana e Caribenha – O Latinidades. Ele é considerado atualmente o maior festival de mulheres negras do país.

A apresentação será no dia 26 de julho, ? s 14 horas, no auditório II do Museu da República, em Brasília. Na oportunidade, Conceição Vercesi irá integrar a mesa de debate Moda Afro e Empreendedorismo.

O festival que está em sua sexta edição é uma iniciativa da Griô Produções com a Irmandade Pretas Candangas e será realizado de 19 a 28 de julho. Ele surgiu como forma de dar visibilidade ao histórico de lutas e resistência da mulher negra na América Latina e trazer reflexão a temas relacionados ao racismo, sexismo, machismo e superação de desigualdades, com recorte de gênero e raça.

Em 2013, o Festival da Mulher Afro Latino Americana e Caribenha irá abordar a memória afrodescendente no contemporâneo e a necessidade de efetivar políticas públicas para a cultura negra e outros temas atuais.

Segundo Conceição Domingos Vercesi, sua palestra no Festival abordará o “Botuáfrica”, projeto no qual se trabalha a produção de roupas e acessórios feitos de tecidos estampados ? mão, baseados na cultura africana e afro-brasileira.

“O Botuáfrica foi escolhido pela organização do evento por ser considerado um projeto inovador que também conta com a parceria do Poder Público. Eu me sinto muito honrada pelo convite de ministrar esta palestra em um evento tão importante. Com certeza tudo isso se deve ao avanço do projeto nesses anos e as parcerias”, salienta.

{n}Sobre o Botuáfrica{/n}

O Botuáfrica surgiu em 2010, idealizado pela Prefeitura de Botucatu, por meio da Assessoria de Políticas de Promoção da Igualdade e Ações Afirmativas, e conta com a parceria do Instituto Botucatu sob a curadoria e coordenação geral de Silvia Sasaoka. Participam dele integrantes do projeto “Evoluir”, do bairro 24 de maio.

Após ser divulgado nas revistas Casa Cláudia e Bons Fluídos, da Editora Abril, e ser convidado pelo próprio Instituto Feira Preta para expor seus trabalhos no maior evento da cultura negra na América Latina na edição de 2012, o projeto iniciou no final de janeiro deste ano a comercialização de seus tecidos para o Japão.

Também passou a contar no mês de março passado com sua exposição permanente na sede do Instituto Botucatu, associação sem fins lucrativos de apoio a iniciativas de arte, cultura e desenvolvimento social, localizada na Rua Reverendo Francisco Lotufo, nº 652, na Vila Nogueira.