Botucatu sedia “Encontros Sobre Arte Contemporânea”

O Programa Educativo da Fundação Bienal de São Paulo, sob curadoria educacional de Stela Barbieri, estará sediando para o evento “Encontros sobre Arte Contemporânea, em parceria com o Museu de Arte Contemporânea (MAC) Itajahy Martins, de Botucatu. Nestes encontros sobre arte, o Educativo Bienal propõe uma conversa sobre conceitos, obras e artistas contemporâneos. A intenção é refletir sobre as experiências pessoais como formas de aproximação com a arte.

Evento que é gratuito aos interessados está marcado para o dia 28 de agosto (quinta-feira), das 9 às 12 horas e  das 15 às 18 horas, no  Teatro Municipal Camillo Fernandez Dinucci, na Praça Coronel Moura. Palestras serão proferidas por Célia Barros (foto), que é artista plástica e curadora. Mestre em Produções artísticas e investigação pela Facultat de Belles Arts da Universidat de Barcelona.

Nos projetos recentes de curadoria destacam-se a trilogia “Eles Somos Nós” no Museu de Antropologia do Vale do Paraíba e as exposições “Nhenhenhém – Aqui todo o mundo é índio” em itinerância pelo estado de São Paulo através do SISEM – Sistema Estadual de Museus de São Paulo da Secretaria de Estado da Cultura. Como artista foi recentemente selecionada pelo Edital de Arte Visuais – SESI/SP e participou das coletivas “Pogo” no Arts Santa Monica e “Arqueofonias” no Convent de Sant Augustí ambas em Barcelona em 2012. 

 

Programa

 

Como falar de coisas que não existem

28.08 (quinta) –  9 às 12 horas

Introdução dos principais conceitos que estão sendo trabalhados pela curadoria da 31ª Bienal, e debate sobre as relações que podemos estabelecer entre alguns projetos que participam da exposição e as questões sociais que vivemos atualmente, no Brasil e no mundo. Como podemos nos transformar a partir de coisas que não existem?

 

Amordenidade, inmodernidade ou desmodernidade

28.08 (quinta) –  15 às 18h

A modernidade colonizou o mundo? É possível não ser moderno? Estas e outras perguntas serão o ponto de partida para debater alguns projetos que participarão da 31ª Bienal. Tendo em vista que cerca de metade dos projetos a serem apresentados estão sendo desenvolvidos especialmente para a exposição que inaugura em setembro, problematizaremos conceitos como modernidade, modernismo e contemporaneidade.