Botucatu recebe o Circuito Sesc de Artes em maio

A edição 2014 do Circuito Sesc de Artes, que tem como subtítulo “Conectando lugares, circulando idéias”, levará para 102 cidades do interior, litoral e Grande São Paulo, entre os dias 25 de abril e 11 de maio, uma programação gratuita, reunindo espetáculos e intervenções artísticas. Voltada para todas as idades, as apresentações estão distribuídas em 12 roteiros diferentes.

Em Botucatu, o Circuito acontece dia 11 de Maio (domingo) a partir das 16 horas na Praça Pedro Torres (Catedral), região central da Cidade. Serão 5 atrações de dança, cinema, circo, teatro e música. Toda a programação é gratuita e tem o apoio da Prefeitura Municipal e do Sincomércio. A programação que acontece em Botucatu faz parte do “Roteiro 1”, que passa também por Avaré, Ourinhos, Lucélia, Osvaldo Cruz, Presidente Venceslau, Mirassol, Tanabi e Votuporanga.

Os números do Circuito Sesc de Artes não deixam dúvidas da abrangência da iniciativa. São 18 unidades do Sesc mobilizadas no estado de São Paulo para realizar uma programação itinerante que possibilitará ao público ter acesso a 591 apresentações, de 66 trabalhos de 370 artistas brasileiros e estrangeiros, nas áreas de música, teatro, circo, dança, literatura, arte mídia, artes visuais e cinema. No total serão 510 horas de programação.

Nesta edição, a ação do projeto, que tem o intuito de enfatizar o encontro e a troca simbólica entre as pessoas, se intensificou por meio da plataforma online. Além das programações físicas em cada cidade, o Circuito Sesc de Artes também acontece na plataforma online (sescsp.org.br/circuitosescdeartes), com conteúdos exclusivos publicados diariamente que possibilitam que o público interaja com fotos e comentários.

O objetivo do Circuito é intervir positivamente no cotidiano de cidades do interior e democratizar o acesso ? cultura por meio de trabalhos de qualidade em diversos segmentos artísticos. Vale ressaltar que a programação ocorre, prioritariamente, em municípios onde o Sesc não está instalado com suas unidades operacionais, ocupando ruas e praças, fato que reforça a ideia do espaço público ser um local de convivência e de encontro.

Para Danilo Santos de Miranda, Diretor Regional do Sesc São Paulo, o Circuito promove a difusão e democratização de diversas manifestações culturais e proporciona ? s pessoas o contato com as diferentes vertentes da produção artística. “Além disso a programação presencial que acontecerá nas cidades somada ao conteúdo online exclusivo enfatizam a busca que o Sesc desenvolve, desde sua fundação, pelo acesso aos bens culturais”, coloca Miranda. “Esse projeto permite a interação entre as pessoas e contribui para a ampliação dos momentos de congraçamento que as Artes tão bem conseguem proporcionar”, completa.

A programação que acontece em Botucatu faz parte do “Roteiro 1”, que passa também por Avaré, Ourinhos, Lucélia, Osvaldo Cruz, Presidente Venceslau, Mirassol, Tanabi e Votuporanga.

Programação em Botucatu

{n}Dança{/n}

Na Pisada do Carnaval
Helder Vasconcelos e o Boi Marinho (PE)

O espetáculo apresenta a união de duas danças típicas brasileiras: o bumba-meu-boi e o cavalo marinho. Um cortejo convida o público a participar da festa. Entre os destaques, está a Dança dos Arcos, da tradição do cavalo marinho, em que o puxador conduz duas fileiras de dançarinos com arcos de fitas, acompanhados de fole de oito baixos, percussão, trombone, trompete, vozes e, claro, o Boi.

Criação e direção artística: Helder Vasconcelos / Com Helder Vasconcelos, Aguinaldo Roberto da Silva, Frank Sósthenes, Rodrigo Félix, Gustavo Vilar, Gleidson Rocha, Márcio Bá, Laura Tamiana, Anna Nova, Nice Teles e Renata Pires.
60 min.

[n}Cinema{/n}

Cine Olho

Intervenção cinematográfica que remete ? s primeiras exibições do cinema mudo a partir de trechos de filmes realizados entre 1896 a 1930. A instalação traz três caixas com um pequeno furo por onde o público pode observar cenas inusitadas deste cinema de atrações como: Os Primeiros Beijos; os Primeiros Monstros e os Primeiros Efeitos Especiais.

Concepção: Sesc SP – Gerência de Ação Cultural (Cinema) / Direção de conteúdo: Angélica Valente / Montagem: Mariana Barioni / Trilha original: Fernando Chankas / Produção: Farinha Produções / Design: Estúdio Kiwi / Cenografia: Valter Mendes e Dani Abreu.

{n}Circo{/n}

Famiglia Milan e O Gran Circo Guaraná com Rolha
Circo Nosotros (SP)

Inspirados pelas trupes que rodavam o Brasil e a Europa em meados dos séculos XIX e XX, personagens de uma família circense, representados por dois atores acrobatas, se encontram para realizar números cômicos pouco apresentados pelos circos da atualidade. Nessa viagem no tempo, a família Milan se desdobra em diversos personagens que presentam desde acrobacias de força e destreza, passando por números de equilíbrio, até voos com bicicleta em pleno picadeiro.

Com Marcelo Milan e Sandra Saraiva / Direção: Marcelo Milan / Pesquisa musical: Leonardo Gallo / Figurinos: Sandra Saraiva e Dina Deolindo / Cenografia: Tomi Sato, Marcelo Milan e Sandra Saraiva
50 min.

{n}Teatro{/n}

La Scarpetta
Lume Teatro (SP)

Diversos números circenses mostram a tentativa do palhaço Teotônio de realizar tarefas sem perder o prazer e a capacidade de brincar. Além disso, trata da essência de ser palhaço, capaz de transformar grandes erros em grandes espetáculos. Ele contorna as dificuldades e ressurge sempre novo, driblando os erros e transformando tudo em alegria.

Concepção e criação: Ricardo Puccetti e Nani Colombaioni / Com Ricardo Puccetti
90 min.

{n}Música{/n}

Pedro Luís (RJ)
Participação Especial de Bruna Caram

Com o objetivo de revisitar composições de sua autoria que ganharam vida em vozes femininas, o fundador do Monobloco e do grupo Pedro Luís e a Parede convida a cantora Bruna Caram e apresenta show com músicas que já foram gravadas por intérpretes como Elba Ramalho (Noite Severina e Os Beijos), Maria Rita (A Medida do Meu Coração), Roberta Sá (Janeiros e Braseiro), Adriana Calcanhotto (Mão e Luva), Zélia Duncan (Braços Cruzados), entre outras.

Concepção e roteiro: Pedro Luís / Com: Pedro Luís (violão, cavaco e voz), Paulino Dias (percussões), Bruna Caram (voz).
60 min.