Botucatu melhora atendimento a deficientes auditivo

O último Censo realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) aponta que, até 2010, mais de 1.200 pessoas em Botucatu declaravam-se deficientes auditivos, seja em maior ou menor grau de intensidade. Para melhor atender as necessidades deste segmento, a Assessoria em Políticas de Inclusão Social da Prefeitura tem estudado a implantação de ações a fim de promover melhorias no atendimento a esta população.

Uma delas poderá ser a aquisição de um software instalado exclusivamente para viabilizar a comunicação de uma pessoa surda com atendentes da Prefeitura. O processo em análise ocorre através de uma videoconferência, no qual um interprete de Libras (Língua Brasileira de Sinais), disponível em uma central de atendimento, faz a intermediação entre a pessoa surda e o servidor público.

Paralelamente, a Assessoria em Políticas de Inclusão Social também pretende qualificar atendentes da Prefeitura com cursos básicos de Libras. Hoje, alguns agentes da Guarda Civil Municipal (GCM) já conseguem fazer um atendimento mais adequado à pessoa surda através do Programa de Atendimento a Pessoas com Deficiência (Proad).

O assessor de Políticas de Inclusão Social, Paulo Malagutte, recebeu representantes de Botucatu, Barra Bonita e também da Associação de Surdos de Jaú (ASJA), entidade esta com mais de 15 anos de atuação. O encontro possibilitou ao Poder Público conhecer os projetos desenvolvidos pela associação, modelo de organização que pretende ser seguido por um grupo de Botucatu.

“Temos diversas demandas apresentadas pelas pessoas surdas em Botucatu. Estamos nos preparando para criar melhores condições de atendimento para que todos tenham o acesso garantido, principalmente aos serviços públicos locais”, argumenta Malagutte.