Botucatu irá abrigar o Memorial de Inezita Barroso

A cantora, atriz, instrumentista, bibliotecária, acadêmica, folclorista, professora, apresentadora de rádio e televisão brasileira e a maior representante da música sertaneja raiz de todos os tempos deverá ter o seu memorial instalado no Espaço Cultural  “Dr. Antônio Gabriel Marão”,  em Botucatu.  Estamos falando de Ignez Magdalena Aranha de Lima ou, simplesmente,  Inezita Barroso.

A filha dessa grande cantora, que morreu em 8 de março deste ano, aos 90 anos de idade, no Hospital Sírio Libanês, doou todo acervo da mãe ao botucatuense Ramiro Vieira de Andrade, ou Ramiro Viola, que manteve uma relação de amizade com a cantora por muitos anos e participou por mais de 20 vezes do programa “Viola, Minha Viola”, da Rede Cultura. Esse programa foi apresentado por Inezita por 35 anos, de 1980 até a sua morte em 2015.

“Todo acervo da Inezita virá para Botucatu e faremos um museu.  É um verdadeiro tesouro da música sertaneja e me sinto lisonjeado e muito feliz em ter sido escolhido para preservar todo esse acervo. Temos uma infinidade de  objetos que pertenceram a Inezita e que não podem ficar guardados.  Ela foi a grande propulsora da música sertaneja raiz e por intermédio dela dezenas de duplas sertanejas alcançaram o  sucesso.  Sempre que podia ela vinha a Botucatu”, colocou Ramiro Viola.

Segundo o botucatuense a iniciativa contou com apoio da Secretaria de Cultura que irá providenciar um espaço para acondicionar o acervo para visitação pública. “A carreira de Inezita é muito bonita e Botucatu terá o privilégio de contar com esse museu com objetos raríssimos. Conseguimos até o lampião de gás original que foi tema de uma das suas mais célebres canções. Temos a certeza que a partir do momento em que o museu estiver aberto para  visitação pública será um dos principais pontos turísticos da cidade”, prevê Ramiro Viola. “Por isso estamos ansiosos para que isso aconteça o mais breve possível”, complementou.